Como colocar em práticas iniciativas de Big Data na sua empresa? Conheça algumas aplicações simples para começar já.

Big Data é o termo utilizado para designar grandes volume de dados ou dados de alta complexidade — estruturados ou não estruturados — que uma empresa tem à sua disposição e que, se bem trabalhados, podem representar um diferencial competitivo nos negócios.

São informações que vão desde dados transacionais (vendas, faturamento, financeiro, estoque), dados de relacionamento, (visitas, telefonemas, ocorrências de suporte), dados demográficos e psicográficos, até dados externos públicos e privados (IBGE, Censo, CAGED, SERASA) que, quando cruzados, podem dar uma compreensão mais clara do mercado e fornecer insights para seu negócio.

Quer ficar por dentro desse assunto incrível? Então, conheça quatro aplicações práticas do Big Data e as principais vantagens em adotá-las como parte da sua estratégia de negócios.

Aprenda a tomar melhores decisões com ajuda do Big Data

O primeiro passo para conseguir tomar decisões baseadas nas informações acumuladas é escolher uma forma de organizar este conteúdo de maneira que possa dar as informações relevantes para o negócio.

Muitas ferramentas de BI estão preparadas para trabalhar com o conceito de Big Data, oferecendo formas práticas e rápidas de ler, organizar e gerar painéis, relatórios e indicadores úteis para o negócio. As ferramentas mais modernas podem levar o Big Data para o dia a dia. Diferentemente dos projetos sem fim que existiam no passado e que precisavam de pessoas altamente especializadas para mostrar algum resultado, estas ferramentas oferecem poderosos recursos e são de fácil implementação.

Um outro ponto importante e que você também deve levar em conta é em relação à tempestividade do que você está analisando, não adianta muita coisa você analisar no décimo dia do mês as informações do mês anterior, você vai no máximo descobrir o que deu certo ou errado, mas provavelmente tarde demais para tomar alguma decisão em tempo de melhorar aqueles resultados.

A análise em tempo real garante que você tenha mais confiança e um melhor embasamento quando precisar tomar decisões estratégicas. Além disso, será possível justificar melhor as suas escolhas perante outros sócios, investidores e até mesmo diante da própria equipe.

Conheça melhor os seus clientes

Com o profundo e variado conhecimento que é possível ter sobre perfil e hábitos dos clientes, já não faz mais sentido realizar a segmentação exclusivamente em grupos amplos, como regionais, ramo de atuação ou faixa de faturamento. Podemos criar clusters de clientes com características em comum!

Para ir mais longe e gerar clusters mais relevantes pode ser necessário o enriquecimento da sua base com dados externos, por exemplo, adicionando o faturamento presumido, porte ou número de funcionários, construindo uma base de dados única de alto valor.

Com o conhecimento das características de cada cluster é possível criar estratégias de captação, relacionamento ou fidelização específicas para cada grupo – permitindo uma personalização “em massa” – diferenciando-se da concorrência e melhorando consideravelmente os resultados de cada ação.

Preveja o mercado com precisão

A modelagem preditiva é uma técnica estatística utilizada há bastante tempo, mas com o Big Data ela ganhou outra dimensão, expandindo todas as possibilidades. Encontrando padrões em dados históricos é possível fazer previsões de eventos futuros e com estas informações em mãos você pode se antecipar aos acontecimentos.

Com análises preditivas é possível identificar riscos de fraude, tendência à inadimplência, propensão de compra de um produto ou a chance de um cliente cancelar uma assinatura e mais uma infinidade de eventos.

Em mercados competitivos, a capacidade de previsão pode ser o diferencial entre as empresas que continuam a crescer e aquelas que ficam estagnadas. O tempo investido em iniciativas que fracassam representa um enorme custo para todas as empresas, saber as chances de cada iniciativa dar certo antes de começar é uma grande ajuda.

Previsões precisas se tornam grandes aliadas da lucratividade pois possibilitam focar os esforços em estratégias e ações com maiores chances de sucesso.
Saiba usar o Big Data na identificação de problemas

Em 2010, um surto de cólera assolou o Haiti! A melhor forma de conter qualquer epidemia é identificando a sua origem, mas como fazer isso em um país que se encontrava em estado de caos após ser vítima de terremoto?

O Twitter e a Organização das Nações Unidas recorreram ao Big Data em um esforço inédito de mapeamento das mensagens dos usuários haitianos. Com isso, os cientistas de dados chegaram a um grupo de nepaleses que estavam em um acampamento da ONU.

O Haiti não tinha histórico de cólera, mas o Nepal sim! Um exame genético revelou que doença se originou pelo vírus nepalês, com isso, foi mais fácil controlar a epidemia. Incrível, não é mesmo?

Agora, imagine essa capacidade de identificação de problemas na sua empresa. Já pensou no quanto de informações escondidas existem nos seus dados?

Para entrar de cabeça nessa onda, descubra como extrair os dados necessários para alavancar o crescimento e aprimorar os processos da sua empresa!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta