Garantir a adequada implantação de BI é algo cada vez mais importante, sobretudo agora que a popularidade dos métodos e tecnologias de Business Intelligence vem experimentando um crescimento significativo nos últimos anos.

No entanto, executivos e CEOs ainda têm sérias dificuldades em conseguir que os projetos relacionados a essa área sejam consolidados com sucesso. Há, de fato, muitas razões para explicar as altas taxas de falhas.

Pensando nisso, analisamos, ao longo deste artigo, alguns dos mais importantes desafios no processo de implantação de BI. Então, se você tem interesse nesse assunto, não deixe de conferir. Boa leitura!

Obter o apoio de toda a equipe

Conseguir que todos os membros da equipe aprovem e apoiem a introdução de tecnologias relacionadas ao BI é um passo essencial para assegurar o êxito dessas iniciativas.

A menos que exista uma previsão excepcionalmente escrupulosa de requisitos técnicos, econômicos e humanos, é provável que surjam problemas durante a execução, tais como atrasos ou, até mesmo, uma variação no escopo do projeto em razão da disponibilidade e qualidade dos dados a serem analisados.

Quando esses problemas surgirem, os executivos que não concordarem com o projeto terão a oportunidade de criticar e frustrar qualquer tentativa de superar as dificuldades.

Para lograr esse apoio, é necessário identificar, em detalhes, os aspectos em que os respectivos departamentos serão beneficiados.

Uma vez iniciado o processo, é essencial assegurar a obtenção de resultados tangíveis e mensuráveis a curto prazo. Dessa forma, será muito mais fácil reforçar o apoio recebido e mitigar as críticas prematuras.

Antecipar mudanças nos requisitos anteriores

Os atrasos e as variações de escopo durante a implantação de BI não são apenas as consequências de uma estimativa incorreta dos requisitos e do entendimento dos dados. Frequentemente, as necessidades e prioridades dos clientes internos mudam durante o processo e isso pode acontecer por vários motivos. Alguns deles são:

  • falta de especificação de alguns requisitos;
  • desacordos em torno da definição de determinados conceitos e KPIs;
  • falta de conhecimento inicial a respeito dos verdadeiros potenciais do projeto em questão.

Se os impactos dessas mudanças não forem levados em consideração, é muito provável que novos atrasos ocorram ou que a implementação não possa ser concluída, devido a uma estagnação no processo de tomada de decisões.

Para resolver isso, é essencial que os chefes de departamento, bem como os usuários finais da tecnologia implementada, conheçam o potencial das inovações e possam solicitar os serviços apropriados.

No entanto, nem mesmo a mais clara das explicações técnicas pode evitar uma mudança de mentalidade. Por essa razão, metodologias ágeis de desenvolvimento também devem ser utilizadas, garantindo a realização das diversas fases do projeto e evitando a interrupção em momentos críticos.

Gerenciar o volume e a multiplicidade de dados

As ferramentas de BI são capazes de receber e assimilar qualquer tipo de dados provenientes de sistemas de TI e transformá-los diretamente em relatórios e conclusões úteis.

Todavia, na prática, a maioria dos tomadores de decisões tem dificuldade em tirar conclusões acionáveis e insights práticos de seus dashboards. As ferramentas somente fornecerão informações conclusivas e úteis quando os dados fornecidos estiverem devidamente estruturados e modelados.

A realidade se caracteriza por uma multiplicidade de distintas fontes e formatos que, portanto, requerem formatação e modelagem prévios ou, mais especificamente, um processo de extração, transformação e carregamento, chamado de ETL.

É possível encontrar, obviamente, soluções de BI com funcionalidades integradas de ETL, mas o processo ainda exige certo nível de conhecimento relativo à sua configuração.

Manter o foco nos objetivos estratégicos e não nas tecnologias implementadas

O uso de uma determinada tecnologia ou ferramenta de BI deve estar sempre a serviço dos objetivos da empresa, e nunca o contrário.

No entanto, há casos frequentes em que processos essenciais são retardados por impedimentos técnicos, seja por imposições do departamento de TI ou por limitações técnicas.

É necessário que a organização tenha um interlocutor capaz de comunicar e integrar, de forma prática e coerente, o departamento de TI com os demais setores que compõem a empresa.

Dessa forma, todos os desafios, tanto os abordados aqui quanto outros que porventura possam surgir, podem ser superados a partir da articulação das ações dos diferentes clientes internos em prol do sucesso da implantação de BI.

Gostou deste post e quer saber mais como ter sucesso na implantação de BI? Baixe agora nosso Guia passo a passo Como ter Sucesso com o Business Intelligence.

O Business Intelligence (BI) é um conceito de muita relevância para o mercado moderno, que está cada vez mais competitivo e exigente. Para obter ajuda no processo de tomada de decisão, adquirir conhecimento dos indicadores relevantes e otimizar os processos internos, um software de BI é imprescindível.

Quer saber mais? Então confira o artigo que preparamos sobre o assunto!

O que é um software de BI?

O Business Intelligence, termo em inglês para inteligência de negócios, consiste em uma cultura focada em dados. É o uso de informações coletadas para facilitar a gestão e a tomada de decisão.

O conceito se baseia na organização de dados de uma forma estratégica para gerar mais valor para a companhia e cooperar com a administração. Surgiu como uma mudança de paradigma com relação ao modelo antigo que era caracterizado por decisões baseadas em intuição. Com o BI, as escolhas são amparadas por um bom conjunto de informações, que revelam o estado atual da organização.

Como F. V. Primak informa em seu livro “Decisões com BI (Business Intelligence)”, o termo surgiu na década de 80 no Gartner Group e evoluiu à medida que o mundo empresarial foi se tornando mais complexo e as tecnologias foram invadindo esse ambiente.

Esse conceito é materializado nas companhias como ferramentas computacionais robustas que auxiliam na gestão com a análise e coleta de dados. Esses sistemas podem ser integrados com outras aplicações da empresa para incrementar a capacidade de visualização e otimizar as análises.

Em uma pesquisa de 2016, 60% das empresas responderam que desejam acelerar os investimentos na área, pois compreendem seu potencial. Para 54% dos entrevistados, melhorar a visualização dos dados é um imperativo estratégico. Ou seja, BI é tecnologia em crescimento.

Como funciona um software de BI?

Um software de BI fornece conhecimento para os utilizadores por meio de relatórios, gráficos e dashboards. Depois de coletar, organizar e analisar os dados brutos, o sistema gera valor e exibe em formas fáceis de visualizar para que os gestores possam decidir o que fazer baseado nisso.

As aplicações coletam todos os tipos de dados: internos, relacionados com os processos das companhias, etapas de produção e questões operacionais; bem como externos, referentes aos clientes e ao mercado como um todo.

Logo após a coleta, o sistema organiza esses dados em bases prontas para armazená-los. Depois disso, essas informações em estado bruto são mineradas com ferramentas de ciência de dados e estatística para identificação de padrões, correlações e algum tipo de sentido.

Depois das fases de coleta, organização e processamento, o BI consegue encontrar valor no conjunto de entrada e fornece isso como saída com os métodos de visualização já mencionados. Então, vem a fase de monitoramento que, como o nome já diz, consiste no acompanhamento por parte dos executivos.

Além das questões operacionais, os sistemas de BI também ajudam a controlar funções estratégicas, com análises e previsões para longo prazo, estatísticas mais complexas e indicadores de desempenho (KPIs). É possível também criar análises preditivas, que, com base nos padrões encontrados, conseguem prever o que vai acontecer no contexto do negócio.

Como um software de BI pode ser utilizado na empresa?

Por causa de suas funcionalidades já citadas, o BI pode ser utilizado para auxiliar e reforçar a gestão estratégica, permitindo um controle maior de objetivos e metas, bem como do histórico de ações. Com ele, o gestor tem mais certeza de suas ações, pois consegue mensurar bem as consequências de cada uma delas.

Também pode ajudar a identificar tendências de mercado, o que ajuda a empresa a se posicionar e se destacar diante da concorrência. Decisões mais adequadas podem ser tomadas, como adaptação a uma abordagem mais moderna que poderá render melhores resultados.

Mas além das questões estratégicas, o BI também pode ajudar nas decisões do dia a dia, que dizem respeito às operações internas. Por exemplo, o funcionamento de um determinado equipamento na empresa pode estar comprometido por algum motivo, mas o conhecimento gerado por ferramentas de Business Intelligence ajuda a optar pela melhor saída para esse problema. Aliás, é possível, inclusive, monitorar a saúde do maquinário para prever situações como essas.

Aplicações de BI auxiliam na segmentação em campanhas de marketing e na preparação de ações mais efetivas para atrair mais clientes. Com os dados coletados e analisados, a empresa consegue chegar a uma estratégia eficiente que sabe exatamente como abordar as pessoas para convertê-las em consumidores.

O relacionamento da empresa com o público melhora também, já que os executivos passam a ter um conhecimento maior do perfil dos clientes, suas preferências e necessidades, e podem investir em ações mais específicas.

Ademais, a gestão dos produtos e da logística também é reforçada, com monitoramento e uma análise completa que permite uma visão ampla de todos os ativos e bens da organização, bem como do estoque.

Quais as vantagens de um software de BI?

Veremos agora algumas principais vantagens dos softwares BI.

Otimização de processos

Um dos benefícios é a otimização dos processos, que se dá com a eliminação de gargalos operacionais. Assim, a equipe interna consegue agilidade para trabalhar e para entregar resultados de qualidade. O sistema possibilita prever problemas e se preparar para eles, além de tomar decisões para resolver os que ocorrerem em menos tempo e com mais eficácia.

Análise de desempenho

A possibilidade de contar com relatórios, gráficos e outras técnicas de visualização permite que os gestores acompanhem as performances das equipes e monitorem as etapas de produção a fim de buscar melhorias significativas e pontuais. Assim, eles conseguem otimizar a produtividade.

Para empresas com lojas franqueadas, por exemplo, a grande vantagem é a capacidade de monitoramento remoto, que ajuda a identificar os pontos fortes e fracos. É possível ainda compreender a queda de vendas em determinado momento do ano.

Melhor gestão de informações

Ter um sistema de BI na empresa é como contar com uma ferramenta poderosa que melhora a gestão e o fluxo de informações. Os líderes dispõem de dados sempre que necessário, o que facilita bastante o dia a dia.

Muitas empresas que não utilizam BI ficam surpresas com os próprios resultados no final do mês e não conseguem compreender como falharam em determinados objetivos traçados. Quem utiliza esse tipo de sistema de análise consegue entender o negócio em tempo real e gerenciar tudo o que acontece e, assim, não é surpreendido.

Redução de custos

Os benefícios citados implicam em redução de custos para as companhias, afinal, com menos problemas operacionais os recursos são utilizados de maneira mais eficiente. Além disso, com uma tomada de decisão mais precisa, os líderes ficam aptos a eliminar gastos desnecessários.

Automação

Outra grande vantagem é a possibilidade de contar com ferramentas que automatizam o trabalho e evitam o esforço humano em questões repetitivas e burocráticas, para que eles fiquem livres para trabalhos mais estratégicos. Assim, a precisão nas atividades aumenta, com menos erros e falhas.

Quais as principais características e diferenciais do Power BI?

A seguir, vamos conhecer algumas características que destacam a solução PowerBI da Microsoft.

Custo-benefício

Por ser uma solução baseada na computação em nuvem, o Power BI se destaca por conta do custo reduzido. O investimento inicial para implantar o sistema é baixíssimo: apenas 10 dólares mensais. Não requer gastos com licenças, nem custos para manter servidores.

Facilidade de uso

O sistema é intuitivo e a Microsoft oferece uma documentação robusta e completa para auxiliar no uso. Os dados podem ser visualizados via navegador ou aplicativo móvel, e é possível acessar um relatório já em duas semanas ou um mês.

Performance

Por ser um sistema na nuvem, a performance é outro ponto a se destacar, com uma boa capacidade de processamento e velocidade na disponibilização de informações.

Conectividade

O Power BI também é compatível com diversas outras ferramentas do mercado, bancos de dados mais comuns e outras aplicações em nuvem. Ademais, os usuários podem integrar o programa com a linguagem R e combinar o poder dessas duas tecnologias para análises preditivas.

O Business Intelligence é um conceito fundamental para auxiliar na gestão, pois permite uma visão ampla dos negócios a partir da análise de dados. Assim, fica mais fácil para tomar decisões adequadas aos processos e às necessidades e conseguir resultados concretos para crescimento do negócio e otimização das atividades internas.

Agora que você já sabe mais sobre as vantagens de um software de BI, acesse nosso site e comece agora mesmo a testar o Power BI!

Qualquer organização passa por momentos de crise e isso é completamente natural. Essa crise pode se desenvolver por causas internas ou também externas (como quando há uma crise financeira no país ou uma mudança na legislação que afete, diretamente, o nicho do negócio). Por isso, é essencial que a empresa tenha um plano para o gerenciamento de crises.

Atualmente, as crises podem acontecer com certa frequência, especialmente por conta das redes sociais. Um comentário mal interpretado pode danificar a marca e reparar a imagem institucional pode ser difícil e levar muito tempo.

Para gerenciar a crise a melhor forma possível, é necessário ter uma equipe preparada para isso. Ela pode ser interna ou terceirizada, como acontece normalmente. Nesses casos, é preciso agir rápido e de forma certeira, evitando prejuízos maiores.

A melhor forma de agir e ser prático é utilizando ferramentas apropriadas e padrões previamente estabelecidos. Nesse cenário, o uso dos dashboards pode ser um grande aliado. Entenda o porquê!

O que são dashboards?

Os dashboards – ou painéis de controle – possuem a finalidade de ajudar a equipe a visualizar os dados e informações mais relavantes da empresa de forma mais clara, visual e intuitiva, facilitando a tomada de decisões. Construídos através de ferramentas de Business Intelligence, também ajudam a identificar quais são os padrões e as tendências dos números da empresa em relação a cenários internos e externos.

Os dashboards são desenvolvidos com base em KPIs (Key Performance Indicators). Uma vez definido o limiar de cada indicador de performance torna-se possível monitorar mais de perto, e em tempo real, a sua variação permitindo uma gestão mais eficiente da operação através da capacidade de responder rapidamente a possíveis crises e danos.

Dashboards e o gerenciamento de crises

Fácil identificação

Quando ocorre qualquer anormalidade nos dados monitorados — movimento que costuma acontecer em meio a uma crise — o dashboard consegue mostrar isso de maneira mais clara e visual, por meio dos gráficos, sinalizadores e alertas. Dessa forma, a equipe pode começar a se movimentar para evitar os problemas antes que eles cresçam.

Aqui é possível analisar diversos fatores: as palavras mais utilizadas pelos usuários, as mídias sociais mais acessadas, os horários de maior pico, a geolocalização, entre outros dados importantes.

Atualização em tempo real

Vivemos em um mundo no qual tudo muda muito rápido, por isso, ter informações atualizadas em tempo real é de vital importância para o controle de danos quando possíveis crises internas ou externas são identificadas pela empresa.

Essa rapidez com que as informações são atualizadas, permite que a equipe se antecipe aos problemas e possa fazer o gerenciamento de crises de forma muito mais rápida.

Criação e análise de possíveis cenários

Imagine que sua empresa queria adotar uma nova estratégia ou um plano de ação para tratar um problema conhecido. Com um bom dashboard é possível criar hipóteses e, com base nos dados históricos da empresa obtém-se alguns cenários e seus possíveis impactos.

Análises preditivas

Outra aplicação dos dashboards no gerenciamento de crises é a capacidade de fazer análises preditivas. Diferentemente da previsão de cenários, as análises preditivas vão dizer, com base no comportamento, variação e histórico dos dados, o que deve acontecer no próximo mês, semestre ou ano. Com isso é possível identificar exatamente para onde a empresa está indo ou de que forma as ações de controle da crise estão resultando.

Se você gostou deste artigo, talvez se interesse pelo curso A arte e a ciência para construir dashboards impressionantes. Confira!

Na gestão logística, inteligência de dados é fundamental para a tomada de decisões mais acertadas e fundamentadas, construindo processos e estratégias que tragam resultados para a empresa. Com a aplicação de conceitos e ferramentas de Business Intelligence (BI), é possível entender, em tempo real, informações e necessidades da empresa de forma fácil e eficiente.

No entanto, muitas empresas ainda não aplicam esse tipo de ferramenta em suas rotinas e processos, já que esse ainda é um assunto menos conhecido e que vem ganhando espaço nas discussões há pouco tempo.

Explicamos agora como o BI pode auxiliar na gestão logística e apontamos algumas das vantagens desse tipo de aplicação de inteligência dentro da empresa. Confira agora!

O BI auxiliando na gestão logística

O conceito básico das aplicações de BI é oferecer indicadores claros de desempenho do negócio avaliado, por meio de métricas obtidas pelo cruzamento e análise das informações, permitindo que as decisões sejam baseadas em análises inteligentes e dados concretos, garantindo resultados melhores.

Além de agilizar a análise de dados críticos, as aplicações de BI na gestão logística permitem controlar a qualidade e performance da operação além de aperfeiçoar processos, uma vez que falhas humanas e operacionais ficam evidenciadas através do monitoramento e análises dos dados.

As vantagens da aplicação de BI na gestão logística

Além do BI auxiliar nos processos de gestão logística, existem algumas outras vantagens que sua adoção pode trazer para sua empresa. Confira!

Integração de elementos de gestão

Um dos fatores mais importantes para a gestão logística é a integração entre os setores e a obtenção de informações claras e precisas, sendo que a aplicação de BI garante que dados de diversos setores sejam cruzados e agrupados de forma eficiente e automática com o objetivo de gerar análises e visões mais inteligentes do negócio.

Análise de dados em tempo real

Outra vantagem que o uso de BI oferece está na análise das informações e dos dados em tempo real, permitindo identificar situações, problemas, riscos e necessidades de forma quase que instantânea a partir de parâmetros e indicadores de qualidade monitorados. Dessa forma a empresa se torna mais competitiva uma vez que consegue agir rapidamente no controle de possíveis danos.

Apoio à tomada de decisões

Por último, é importante destacar que a tomada de decisões na gestão logística exige agilidade, precisão e eficiência, o que é potencializado pela análise precisa dos dados que pode se tornar ainda mais sofisticada através do cruzamentos de diferentes fontes – internas e externas – como, por exemplo, dados de trânsito, dados de clima, entre outros dados públicos ou privados que interferem nas operações logísticas.

A avaliação dos resultados para compreender o desempenho da ferramenta de BI

Ao adotar uma ferramenta de Business Intelligence para apoiar as estratégias de gestão logística, não basta confiar na escolha do melhor sistema para as operações do dia a dia, já que a tomada de decisões deve ser fundamentada nos resultados obtidos e em análise detalhada e cuidadosa das melhorias oferecidas pela sua adoção.

Para isso, é interessante entender como a ferramenta de BI auxilia nos processos gerenciais e de análise estratégica dentro da gestão logística, comparando os resultados obtidos antes da aplicação e medindo os impactos que sua utilização trouxe, através do monitoramento de métricas claras de sucesso e de potenciais melhorias.

O que você achou de entender como a aplicação de ferramentas e conceitos de BI pode auxiliar na gestão logística? Se você gostou do conteúdo e deseja se manter atualizado, aproveite e assine nossa newsletter!

Em um passado não muito distante, as empresas tomavam decisões baseadas apenas na intuição de seus gestores. No entanto, com a evolução tecnológica e das demandas de mercado, essas decisões passaram a exigir dados concretos, o que demanda do profissional a especialização em Business Intelligence.

O conceito de Business Intelligence, também conhecido por BI, é bastante discutido atualmente, mas ainda existem dúvidas sobre seu significado, seu real efeito nas instituições e como ele pode impactar positivamente nas empresas.

Explicamos agora, de forma sucinta, o que é BI, qual a importância da especialização em Business Intelligence e quem deve buscar se especializar nessa estratégia, especialmente pelos benefícios trazidos para a carreira profissional. Confira!

Quem deve buscar especialização em Business Intelligence?

Antes de mais nada, é interessante conceituar de forma simplificada o que é Business Intelligence: o BI consiste em uma análise aprofundada dos dados da empresa, do mercado e da experiência do cliente, visando decisões mais embasadas e com resultados melhores.

Dito isso, é possível afirmar que a especialização em ferramentas de Business Intelligence é interessante para diversos tipos de profissionais, dos mais diversos nichos de mercado, já que a análise de dados permite que os gestores estejam melhor capacitados para decisões importantes.

Além de preparar o profissional para a tomada de decisões melhores, a especialização em BI também o torna mais competitivo no mercado, já que passa a representar um papel estratégico nas organizações que trabalhar.

Quais as principais ferramentas para atuar com BI?

Existem diversas ferramentas disponíveis atualmente no mercado e que podem ser utilizadas para a análise de dados de forma estratégica, sendo que cada uma delas apresenta vantagens e desafios distintos para o profissional.

Dentre as plataformas de Business Intelligence e Analytics, as mais bem posicionadas no Quadrante Mágico do Gartner Group são o Power BI, a ferramenta de Business Intelligence da Microsoft, o Tableau, da empresa americana Tableau Software e o QlikView da QlikTech.

Quais as vantagens de investir nessa especialização?

É possível destacar algumas vantagens importantes na especialização em Business Intelligence, conforme listamos abaixo:

  • maior agilidade e assertividade na construção de relatórios e visões de acompanhamento de indicadores estratégicos, gerenciais e operacionais;
  • tomada de decisões mais fundamentadas e direcionadas a resultados, com base em dados em tempo real;
  • redução de custos, tanto pela agilidade na tomada de decisões quanto pela qualidade dos resultados obtidos a partir dos dados analisados;
  • melhoria da organização interna e da gestão de dados, especialmente de informações importantes para o core da empresa, que passa a ser levado em consideração de forma clara e objetiva nas decisões;
  • possibilidade de desenvolvimento de estratégias de mercado mais inteligentes e eficientes, tomadas de acordo com a realidade do mercado, dos concorrentes e dos clientes da empresa.

Como você pôde perceber, a especialização em Business Intelligence representa um grande progresso na carreira profissional, pois permite dominar ferramentas que impactam diretamente na tomada de decisões e nos resultados empresariais.

Quer aprender como dinamizar seus dados e dominar seus negócios utilizando uma ferramenta de Business Intelligence? Conheça mais sobre o curso “Por Dentro do Power BI”.

Toda organização, independentemente de seu porte ou segmento de atuação, sempre pensa em criar e entregar os melhores produtos e/ou serviços. Essa é uma posição louvável, porém, nos dias atuais, é inadmissível, sobretudo para uma empresa B2B, não ter a análise de dados como parte integrante da rotina corporativa.

Isso significa que não basta desenvolver excelentes soluções ou focar na atração de novos clientes. É preciso desenvolver uma visão crítica que, por meio da análise de dados, consiga extrair informações acionáveis e úteis para fundamentar o processo de tomada de decisões.

Pensando nisso, mostramos, ao longo deste artigo, que somente com essa análise é possível ter uma visão real do seu negócio e efetivar as mudanças necessárias para alavancar os resultados. Boa leitura!

O que é possível visualizar com a análise de dados?

Muitos executivos supõem erroneamente que o objetivo final de cada análise responde a uma pergunta específica. Todavia, é altamente recomendável assegurar uma visualização que permita a experimentação.

Para tomar decisões mais assertivas, não há por que se limitar ao clássico gráfico que representa dados numéricos para criar um argumento. Uma das possíveis formas consiste em começar com um esboço que o ajude a definir o escopo de sua pergunta ou a melhor maneira de explicá-la.

Não importa que o esboço não apresente dados estritamente quantitativos e empíricos, uma vez que o mais importante é que representem ideias para chegar a uma conclusão correta.

Poder contar com ferramentas adequadas de BI (Business Intelligence) e relatórios facilmente gerados e manejáveis é de grande ajuda nesse estágio.

Quais as vantagens para sua empresa?

As vantagens que sua empresa pode acessar dependerá, objetivamente, do tipo de decisão que está para ser tomada. Por exemplo, seja para o fim de lançar um novo produto e/ou serviço ou atingir um novo segmento, a análise de dados pode fornecer à sua organização as informações necessárias para:

  • selecionar os canais de distribuição mais apropriados;
  • mensurar a satisfação dos clientes e conhecer melhor os seus hábitos de consumo;
  • avaliar a eficácia das ações de marketing realizadas;
  • identificar possíveis riscos e novas oportunidades;
  • identificar as tendências do mercado, entre outras vantagens.

Quais são os tipos de análise?

A análise de dados pode ser feita seguindo diversos padrões técnicos. A seguir, apresentamos três modelos paradigmáticos que, devido ao seu potencial, podem trazer bons resultados para a maioria das organizações. Confira!

Análise descritiva

A análise descritiva é aquela que vem sendo realizada de forma tradicional e permite que as empresas saibam o que está acontecendo, em tempo real, e tomem decisões imediatamente baseadas nessas caracterizações.

É inegável que a análise só pode ser considerada útil se ajudar a tomar decisões precisas. Afinal, sua empresa pode reunir grandes quantidades de dados, mas, se não tiver os recursos necessários para convertê-los em informações que impulsionem os negócios e ofereçam soluções realmente adaptadas às suas necessidades, não obterá benefício algum.

Análise preditiva

Após conhecer a situação atual do seu negócio e tomar decisões com base nela, você pode ir além e realizar uma análise preditiva que permitirá prever e se antecipar a possíveis cenários.

Essas previsões são feitas com base em informações passadas e presentes, permitindo que eventos com alto grau de probabilidade sejam presumidos.

A análise preditiva vai trabalhar com possibilidades, chances de um evento acontecer, e você decide como vai trabalhar estes dados.

Um exemplo de análise preditiva é quando você coloca um endereço no GPS, ele calcula uma rota e consegue estimar o tempo de deslocamento. Este tempo é uma previsão baseada em deslocamentos anteriores e nas variáveis disponíveis no momento, como distância, velocidade máxima nas vias e transito local.  

Análise prescritiva

Esse modelo procura, de modo geral, responder à pergunta: como podemos fazer algo acontecer? Pode-se dizer que é um aprendizado que se adapta para conseguir oferecer o melhor resultado possível em cada situação real que deve ser enfrentada.

A análise prescritiva baseia-se na aplicação das regras de negócio, algoritmos, machine learning e procedimentos de modelagem computacional. Para tanto, diferentes conjuntos de bases de dados são utilizados, incluindo dados históricos, transacionais, em tempo real e Big Data.

Um pouco além do que a análise preditiva faz, a análise prescritiva vai dizer o que você deve fazer naquele momento.

Um exemplo de análise prescritiva é quando você informa o destino e o GPS fala para você: Vire à direita e depois vire à esquerda. Você segue as ordens e chega no seu destino. 

Como usar a análise de dados na tomada de decisões e obter insights dos resultados?

Para obter insights dos resultados de sua análise e empregá-los na tomada de decisões, você deve:

  • definir um objetivo: entenda a origem de sua base de dados e determine o problema que quer resolver;
  • explorar os dados: encontre os primeiros indícios (hipóteses ou pré-conclusões) com o auxílio do modelo descritivo e elabore gráficos e estatísticas numéricas, listando-os por ordem de importância;
  • analisar os dados com um software: selecione as técnicas que serão utilizadas para corroborar as hipóteses que levantou na etapa de exploração;
  • criar um relatório: resuma as conclusões que obteve, explicando aos demais suas conclusões, bem como as dificuldades que encontrou e quais serão os próximos passos.

Qual o impacto da análise de dados na organização?

Analisar as informações disponíveis de maneira sistemática e organizada confere ao líder empresarial toda a tranquilidade e segurança necessária para a perfeita realização de seu trabalho, além de passar o sentimento de que o ambiente pelo qual ele é responsável está sob controle.

Nesse contexto, a análise de dados impacta positivamente a empresa, tornando rápida e fácil a implementação de melhorias e a realização de estudos voltados precisamente às necessidades de cada momento.

Gostou do artigo? Então, assine a nossa newsletter e receba em primeira mão, diretamente em seu e-mail, os melhores conteúdos sobre Inteligência de Negócios!

Já faz algum tempo que o conceito de Business Intelligence tem circulado por meio de processos que englobam o uso da tecnologia e da inteligência voltada para os negócios, tudo isso com o intuito de aprimorar o desempenho e desfrutar de uma série de benefícios. Reduzir custos na empresa com B.I. é um deles.

Mas afinal, o que é B.I.? Business Intelligence, ou em português, Inteligência de Negócios, diz respeito ao processo que envolve a coleta, organização, análise, controle e o ato de compartilhar informações que forneçam um apoio para uma boa gestão dos negócios.

Engloba uma série de métodos, de estruturas, teorias, ferramentas tecnológicas e todos esses elementos em conjunto trabalham para fazer com que os dados brutos obtidos se tornem informações relevantes e úteis para as tomadas de decisões e elaboração de estratégias.

Ao longo deste artigo, listamos as principais formas de efetuar a redução de custos nas empresas usando o B.I. Continue a leitura e confira.

Realização de controle de estoque

Com o uso de diferentes ferramentas tecnológicas, é muito mais simples para uma companhia ser capaz de efetuar a análise das necessidades pertinentes ao estoque e assim poder tirar o máximo de aproveitamento correto do espaço que está sendo disponibilizado, sendo fundamentado pela demanda de mercadorias.

Ter produtos em falta é prejudicial, assim como o excesso em estoque também pode acarretar o desperdício de recursos. Isso precisa ser evitado a todo custo.

Para que isso não ocorra, o indicado é usar o B.I. O Business Intelligence permite o gerenciamento do estoque, de acordo com os parâmetros da oferta e da procura. Desse modo, a empresa pode reduzir despesas de maneira significativa e fazer investimentos em outros setores.

Otimização e agilização das campanhas de marketing

No momento atual, o Business Intelligence averigua o desempenho das campanhas de marketing e faz uma análise dos indicadores que têm a ver com os resultados, como o engajamento do público consumidor, a geração e conversão de leads etc.

Desse modo, torna-se viável realizar um investimento dando prioridade aos elementos que concederão mais vantagens para a empresa, o que possibilita a redução de gastos e a elevação da qualidade das ações.

Auxílio nas operações de compra junto a fornecedores

Uma das coisas mais apreciadas por qualquer instituição é fazer a contratação de fornecedores que proporcionem o melhor custo-benefício possível. Ao se fazer uso do Business Intelligence, esse intuito pode ser atingido.

Pelo fato do B.I. utilizar uma série de indicadores, como eficiência, tempo de entrega, custo, entre outros parâmetros, fica mais fácil e menos custoso realizar as compras.

Redução de custos na empresa com auxílio do Business Intelligence

Reduzir custos na empresa com B.I. é uma prática plenamente possível, como pudemos observar no decorrer do artigo. Devido ao fato do B.I. otimizar processos e recursos, consequentemente as despesas diminuem de forma bastante expressiva.

Já que o B.I. é tão útil e relevante, que tal escolher uma boa ferramenta para lhe auxiliar? Para ajudar você nisso, faça o download do nosso e-book, onde lhe mostraremos como escolher uma ferramenta de B.I. Confira!

No mundo corporativo, a inteligência artificial (IA) vem impactando o conceito de Bussines Intelligence (BI). Juntas, as novas tecnologias — que utilizam a inteligência artificial e BI — proporcionam vantagens competitivas substanciais para as empresas, independentemente do ramo de atuação.

Hoje, o sucesso nos negócios exige a compreensão da influência dessa nova relação de consumo que passa pelas redes sociais e as ferramentas de automação, principalmente.

Nesse contexto, é preciso buscar conhecimentos que orientem a aplicação adequada desses recursos para o desenvolvimento dos negócios. Continue a leitura e veja como é possível utilizar essas ferramentas para aumentar a visibilidade de sua empresa e fortalecer a sua marca. Acompanhe!

Como a inteligência artificial e BI podem influenciar a análise de negócios e a tomada de decisões?

A intensa relação entre inteligência artificial e BI provocou uma revolução em todas as tecnologias já conhecidas. As ferramentas de IA utilizam algoritmos que permitem que máquinas e sistemas se integrem e aprendam sozinhos.

Desse modo, a IA pode simular a capacidade — que antes era exclusiva do ser humano — de pensar e de solucionar problemas de forma precisa, automática e proativa. Isso transforma as ferramentas de inteligência artificial e BI em dois elementos de grande relevância para o desenvolvimento e evolução dos negócios.

A era de transformação digital constante e as novas possibilidades tecnológicas sugerem que a empresa que não se adequar a essas mudanças dificilmente superará a competitividade. O uso dessas tecnologias possibilita a automação de uma gama de atividades e a otimização de infinitos recursos de gestão.

O business intelligence — que em português significa inteligência de negócios — é um processo que permite organizar, analisar, monitorar e compartilhar informações essenciais que fornecem uma base sólida para a tomada de decisões.

Assim, o BI é a ferramenta que está moldando o futuro do universo corporativo. Aliado ao uso da inteligência artificial, ele auxilia no desenvolvimento de estratégias — cada vez mais eficazes — para orientar os negócios e facilitar a gestão.

Por que essas tecnologias implicam vantagens competitivas para as empresas?

O BI atual ainda tem o recurso da mobilidade a seu favor: interfaces mais leves, múltiplas plataformas, excelente usabilidade e soluções estratégicas e intuitivas. Essas características possibilitam que dados importantes e indicadores sejam consultados em um smartphone. Essa facilidade de acesso influencia a captação de clientes e flexibiliza mais oportunidades.

Dessa maneira, um ciclo de BI definido estrategicamente auxilia as empresas em diversos aspectos. Permite, pois, a utilização de novas tecnologias de IA para maximizar o crescimento e modernizar a corporação. Recursos como machine learning, implantação de chatbot e análise de sentimento são os mais comuns.

Aliado aos benefícios da IA, o BI torna possível estabelecer objetivos claros, obter informações, avaliar propostas, agir e analisar os resultados de forma mais precisa e eficiente.

Como as tecnologias de inteligência artificial e BI influenciam os negócios?

A inteligência artificial representa uma evolução de todas as tecnologias já conhecidas. Integrada aos benefícios do BI, certamente esse recurso pode significar um novo estágio de crescimento contínuo e muito mais sólido.

Logo, a competitividade atual impõe a necessidade de dar um passo além e adotar, sem medo, ferramentas que revolucionem o modo de lidar com a informação. Investir nessas medidas e manter a mente aberta às inovações pode assegurar amplas possibilidades de crescimento.

Percebe-se, então, que a inteligência artificial e BI vêm conquistando um considerável espaço no mundo dos negócios. São alternativas vistas como importantes aliadas dos gestores na tomada de decisão rumo à estabilidade das organizações.

Gostou deste artigo? Então, não perca tempo e veja também as 9 tendências em business intelligence para a sua empresa ficar de olho. Esperamos você!

O conceito de Business Intelligence envolve o conjunto de ferramentas que reúnem, organizam, monitoram e analisam as informações produzidas por uma empresa. A aplicação desses recursos possibilita o cruzamento de dados oriundos de fontes internas ou externas, auxiliando na elaboração de cenários e na projeção de resultados.

A partir desses exames, é possível gerar relatórios confiáveis para embasar a tomada de decisão dos administradores. Neste post, vamos apresentar 5 motivos para utilizar o B.I para potencializar a gestão de negócios. Boa leitura!

1. Facilita análises e decisões estratégicas

Em uma grande empresa, o alto volume de informações que circula entre os departamentos precisa ser organizado, a fim de basear as análises em fontes seguras e confiáveis. Caso não exista uma tecnologia para administrar essa quantidade de dados, a desorganização ocasiona uma sobrecarga nos gestores, atrapalhando as decisões estratégicas.

A utilização do Business Intelligence oferece à empresa números consolidados em relatórios sintetizados, disponibilizados de forma ágil e organizada. Assim, a administração consegue ter uma visão geral do negócio, o que fortalece a tomada de decisão.

2.  Permite a revisão de processos internos

Ao colher e analisar os dados fornecidos pelos processos internos da empresa, a ferramenta de Business Intelligence dá aos gestores conhecimento total do negócio. Assim, é possível estabelecer quais ações podem ser extintas, redimensionadas ou incentivadas.

Nesse sentido, usar o B.I para desenvolver uma estratégia de downsizing, por exemplo, aumenta as chances de sucesso dessa iniciativa. O mesmo vale para definir o plano de expansão de determinadas atividades.

3. Reduz custos e despesas

A redução de custos e despesas gerada pelo uso do B.I acontece a partir da eliminação de processos ineficientes. Por exemplo, a repetição sistemática de coletar, consolidar, cruzar e gerar análises de diferentes fontes de dados é extinta e substituída por relatórios e análises em tempo real. Isso permite que os recursos humanos dediquem a maior parte do tempo analisando as informações do negócio e definido estratégias e ações, do que gerando gráficos e relatórios.

Além disso, com uma ferramenta de BI possível avaliar as ações de marketing, de vendas, de pós-vendas e o retorno sobre o investimento (ROI) gerado para o negócio.

O mesmo vale para outras áreas: a partir da análise dos indicadores financeiros e de produção fornecidos pelo B.I, o gestor pode efetuar uma série de ajustes com objetivo de racionalizar custos e despesas e investir em atividades-chave para a gestão eficiente do negócio.

4. Indica tendências

A previsão de tendência do mercado é outra funcionalidade do B.I para potencializar a gestão de negócios. A partir da compilação de diversos dados, o Business Intelligence indica uma projeção de números para embasar decisões de curto e médio prazo.

Essa funcionalidade é uma vantagem competitiva importante. Ela permite que a empresa adote estratégias eficazes, esteja prevenida para cenários adversos e se mantenha sempre um passo à frente de seus concorrentes.

5. Maior compreensão dos consumidores

Afinal, o que desejam os clientes? Responder a essa pergunta diariamente é a motivação de qualquer empresa. Nesse sentido, a solução de B.I tem contribuições relevantes para dar.

A ferramenta permite reunir pesquisas de mercado, dados de consumo, indicadores de vendas e qualquer número relacionado aos consumidores. Assim, é possível prever comportamentos, projetar vendas e definir os rumos das estratégias comerciais com mais exatidão.

Como você pode observar, existem, pelo menos, cinco fortes motivos para utilizar o B.I para potencializar a gestão de negócios. A aplicação fundamenta a tomada de decisões estratégicas, oferece subsídios para revisar procedimentos internos, reduz despesas, indica tendências e possibilita a melhor compreensão do comportamento dos consumidores. A partir desses benefícios, a empresa se torna mais competitiva e forte para crescer.

Entendeu como o B.I pode ajudar o seu negócio? Então não deixe de conferir 5 vantagens das ferramentas de B.I para a sua empresa e se aprofunde ainda mais no assunto!

Nos últimos tempos, muito tem se falado a respeito de Business Intelligence (BI). Afinal, existe hoje no mercado uma grande variedade de ferramentas de BI, capazes de propiciar um leque de possibilidades para as mais variadas operações e processos dentro de uma empresa.

Mas ainda se questiona o quanto esse conceito se aplica, efetivamente, no cotidiano organizacional. Então, deseja descobrir quais são as vantagens das ferramentas de BI? Pois é disso que trataremos neste artigo! Continue lendo para saber mais:

1. Maior capacidade de percepção de erros

O dia a dia de uma instituição é repleto de atividades, processos, planejamentos, estratégias, entre outras coisas. No decorrer dessas operações, naturalmente, algumas práticas, números e erros podem acabar não sendo notados.

O resultado disso é a criação de gargalos que, continuamente, sugam os recursos da empresa, trazendo prejuízos financeiros e impedindo novos investimentos.

Pois, diante disso, as ferramentas de BI permitem uma análise mais completa e cruzamentos de dados muito mais profundos, permitindo um filtro mais apurado e ampliando a capacidade de percepção de falhas.

2. Prevenção de fatores externos

Toda a movimentação que ocorre no ambiente externo ao negócio — o funcionamento do mercado, as tendências de consumo, as condições gerais da economia, os índices financeiros — enfim, tudo isso foge ao controle da companhia. Contudo, ao aplicar os conhecimentos e instrumentos do Business Intelligence, é possível, ao menos, prever esses fatores.

Assim, com uma base sólida e precisa de informações, torna-se bastante viável tirar proveito de acontecimentos futuros e ter impactos mais positivos, aproveitando-se ao máximo as oportunidades da forma como elas se apresentam.

3. Acompanhamento da experiência do cliente

Há organizações que ficam perplexas tentando compreender por que conquistaram ou perderam clientes. E, sem sabê-lo, não conseguem controlar esses fatores. Mas, com o auxílio das ferramentas de BI, é possível minerar dados relacionados à venda e, igualmente, ao pós-venda.

Dessa forma, consegue-se averiguar os pontos fracos, que demandam melhorias (seja no atendimento, nos instrumentos usados nas transações, na conduta dos vendedores, entre outros). E monitorar esses elementos ajuda a garantir uma boa experiência para a clientela.

4. Auxílio à estratégia de marketing

As ferramentas de Business Intelligence também ajudam a potencializar as estratégias de marketing no trabalho de diagnosticar quais são as ações, formatos, nichos, público-alvo etc., de forma a usar os recursos humanos e financeiros com mais inteligência nas campanhas. E gerando, assim, resultados mais satisfatórios para o negócio.

5. Maior competitividade

Por fim, uma das maiores vantagens das ferramentas de BI é que elas deixam o negócio muito mais competitivo, ao permitirem a elaboração de avaliações externas e internas mais completas e precisas. Além disso, ajudam na tomada rápida de decisões e na implementação de uma estratégia de marketing mais eficiente.

Bom, depois de tudo isso, podemos dizer o BI ajuda, sim, na gestão da empresa como um todo, aumentando de forma considerável os seus níveis de produtividade.

E, para garantir ainda melhores resultados e performance, também vale a pena ainda procurar uma empresa especializada nesse ramo! Então, se gostou deste texto sobre as vantagens das ferramentas de BI, aproveite para entrar em contato conosco!