Em meio ao mundo globalizado, qualquer falha mínima ou qualquer situação que pareça estranha à empresa pode eclodir numa crise de reputação e impactar negativamente a marca em longo prazo. Portanto, a existência de um plano estratégico de gestão de crise é essencial para abordar e impedir qualquer circunstância adversa que afete uma organização.

O processo de transformação de dados e informações em conhecimento para fins de utilização em estratégias de tomada de decisão, de modo que elas sejam baseadas em informações consistentes, atualizadas e altamente precisas é conhecido por Business Intelligence (BI).

Neste artigo, vamos entender como agir corretamente nos momentos de crise empresarial e como o BI pode ajudar a implementar as ações corretas. Vamos lá?

1. Identifique o problema

A primeira coisa que deve ser feita para identificar uma crise é diferenciá-la de outros incidentes que possam ocorrer. Para isso, entenderemos a crise como situações internas ou externas, previsíveis ou não, que colocam em risco a imagem, a ação e os relacionamentos dentro e fora da organização.

O primordial é reconhecer a existência de um problema que necessita de solução. É essencial avaliar sua gravidade, pois somente isso pode determinar que ações são necessárias e quando precisam ser tomadas. Os gerentes precisam analisar constantemente os dados disponíveis, que são facilmente administrados com um sistema de BI.

Assim, poderão detectar falhas de gestão, necessidade de mudanças estratégicas, desvios produtivos, entre outros fatores que podem causar uma crise. Identificar falhas cometidas no passado também é importante, pois nos permite trabalhar preventivamente para o futuro.

2. Envolva os colaboradores na gestão de crise

Nunca sabemos de onde vem as ideias que podem nos ajudar a superar a situação de crise. As pessoas que conhecem o dia a dia do trabalho são as que estão em melhores condições para encontrar soluções que nos permitam melhorar e atingir os objetivos que queremos alcançar.

Os colaboradores estão aptos a trabalhar em um Diagrama de Causa e Efeito, ferramenta muito importante para detectar a origem dos problemas e definir o grau de urgência das ações a serem tomadas.

3. Elabore um plano de ação eficiente

Depois de entender a importância de ter boas estratégias de gerenciamento de crise de negócios, o próximo passo é criar seu próprio plano de ação. Antes disso, podem surgir várias questões, como: quais fatores considerar, o que fazer primeiro, quem deve ser responsável, quais recursos serão necessários, entre outros.

Como decisões podem destruir um negócio, é essencial que se tenha à disposição informações confiáveis ??e atualizadas.

Mais uma vez o BI entra em cena com dados e estatísticas consolidados que permitem uma revisão dos processos internos da empresa e a identificação dos pontos mais críticos a serem tratados com rapidez e eficiência.

O Business Intelligence é cada dia mais indispensável nas organizações. Somente com informações atualizadas podemos tomar decisões estratégicas e diligentes para obter bons resultados. Muitas vezes, a escassez de informação é a principal responsável pelos tempos de crise nas organizações, por isso é essencial escolher um bom sistema de administração de dados.

Gostou do nosso conteúdo? Se você pretende implantar o Business Intelligence para ter mais eficiência na gestão veja Tudo o que você precisa saber antes de implementar uma ferramenta de BI

As empresas modernas já estão começando a dar a devida atenção à importância dos dados. Uma das principais implicações é na segurança da informação, com melhorias no gerenciamento de riscos e no planejamento preventivo.

Para otimizar os processos, identificar problemas e antecipar transtornos, o investimento em monitoramento de dados é uma opção efetiva. Para aprender mais sobre esse assunto, acompanhe este artigo.

O monitoramento de dados é a chave e a porta

Essa função consiste no acompanhamento das atividades de uma empresa em suas operações cotidianas. O objetivo é manter o controle rigoroso sobre os processos e obter mais conhecimento para a gestão.

O monitoramento de dados permite encontrar problemas e identificar comportamentos e padrões que auxiliam a liderança com uma visão global. Funciona como uma chave que viabiliza a exploração de diversas possibilidades de ação. Além disso, também coopera com a antecipação de possíveis gargalos operacionais, a fim de possibilitar a prevenção.

Segurança

Da mesma forma, é crucial para reforçar a segurança, como uma porta que impede o acesso indevido. Devido à possibilidade de prever situações de risco, é possível definir abordagens para proteger e reforçar a proteção da companhia, como a utilização de softwares específicos e a elaboração de uma política interna.

Assim, a gestão assegura confidencialidade, disponibilidade e integridade dos dados. Eles estarão sempre disponíveis, com uma boa qualidade e restritos somente a quem deve acessá-los.

Competitividade

Além disso, é uma questão de competitividade também, já que se trata de uma tendência cada vez mais aceita entre as companhias. Em uma pesquisa realizada pela Experian, 76% das empresas entrevistadas responderam que dados são fundamentais para definição de estratégias de negócio, e 91% já estão começando a colocar isso em prática.

Os benefícios são reais

A seguir, veremos algumas vantagens do monitoramento de dados.

Permite o conhecimento do mercado

Uma das principais implicações é o maior conhecimento de mercado. Com a análise de informações relevantes, a gestão consegue identificar tendências de consumo para o futuro e descobrir demandas e oportunidades de lucro de maneira mais eficiente.

Assim, a empresa pode preparar estratégias para impulsionar a competitividade e gerar mais valor para os consumidores. Existe também a possibilidade de segmentar a forma como a companhia se apresenta e impactar ainda mais o público.

Suporta a tomada de decisão em tempo real

O acompanhamento em tempo real aumenta o poder de reação para a companhia diante de incidentes e crises. Ademais, os colaboradores podem também ser proativos, optando por soluções antes que os problemas fiquem maiores. As decisões ganham mais consistência e apresentam uma maior probabilidade de sucesso, pois são baseadas em informações relevantes e de qualidade.

Beneficia a gestão estratégica

Da mesma forma, o monitoramento viabiliza a gestão estratégica, preocupada com as metas. A possibilidade de analisar os processos enquanto eles ocorrem, aliada à análise dos indicadores definidos, contribui para o alinhamento da companhia aos objetivos. Com isso, é possível mensurar os resultados de acordo com o que foi planejado e adotar abordagens efetivas para corrigir os problemas.

Acompanhar as operações e as informações geradas é crucial para garantir competitividade, segurança e um gerenciamento mais inteligente, voltado para os objetivos e metas. É uma estratégia que ajuda a companhia como um todo, com uma visão mais ampla para os líderes. Dessa forma, eles conseguem planejar e aplicar ações para estimular o crescimento de forma saudável e segura.

Agora que você já conhece a importância do monitoramento de dados, siga a gente no no LinkedIn e receba em primeira mão nossos conteúdos sobre inteligência de negócios e gestão de clientes!

Nos últimos tempos, muito tem sido falado a respeito da importância da coleta, gestão e análise dos dados que as empresas têm a respeito de seus clientes e prospects e como utilizar essas informações para melhoria de processos, alavancar vendas e rentabilizar as operações.

Muitas organizações contam com um grande número de dados, obtidos por meio de ferramentas próprias — como o próprio site ou um CRM —, ou mesmo dados de terceiros e de mercado, os quais precisam ser agrupados, analisados e gerenciados de forma inteligente, compartilhados com os diferentes canais e pontos de contato e utilizados de maneira segura e assertiva na comunicação com clientes e prospects.

Para estruturar corretamente as informações e fazer um bom uso da montanha de dados da empresa com foco na Gestão do Relacionamento com o Cliente é fundamental encontrar uma metodologia que facilite o processo e garanta resultados. Confira como isso pode ser feito!

O que é metodologia DMP?

Para compreender o que é a metodologia DMP é necessário primeiro compreender o seu significado e como ela foi criada.

A metodologia DMP (Deep Mapping Process) foi desenvolvida pela Trinity, com foco em empresas que desejam implementar e/ou reestruturar programas e estratégias de CRM , visando empregar mais inteligência comercial e de mercado no Relacionamento com Clientes e Prospects.

Nesse momento, a adoção de uma metodologia focada nesses dados, como é o caso da metodologia DMP, se faz necessária para auxiliar as empresas na adoção de relacionamentos estratégicos com seus clientes.

Sua premissa principal é auxiliar essas organizações a executar o projeto de CRM de maneira eficiente, por meio da compreensão do negócio e também dos processos envolvidos no marketing, vendas, serviços e demais áreas que se relacionam direta ou indiretamente com clientes e prospects.

Como funciona a metodologia DMP?

Por meio de treinamentos, workshops e estudos, a metodologia DMP visa compreender quais são as necessidades da empresa, suas principais estruturas, além de trabalhar os indicadores e definir as diretrizes estratégicas do programa de relacionamento com clientes.

Por meio dessa análise e levantamento, são redesenhados os processos e objetivos estratégicos, visando compreender os passos necessários para atingir a situação-alvo da empresa, a fim de permitir que o negócio conte com uma estrutura sólida para utilizar os dados a favor de melhores resultados.

Como ela ajuda a diagnosticar e resolver problemas da empresa?

Ao analisar os processos, ferramentas, dados e resultados, a metodologia DMP faz com que seja possível identificar os principais pontos de conflito, os gargalos de informações e, inclusive, os processos que estão atrasando ou atrapalhando o desenvolvimento da empresa.

Com isso, é possível desenvolver estratégias mais inteligentes e direcionadas para as necessidades do negócio, solucionando os problemas identificados e criando meios para que a organização se desenvolva de forma mais eficiente, com decisões tomadas com base na análise dos dados obtidos.

Para a empresa, isso significa compreender os principais pontos de melhoria e também quais os fatores mais importantes para que o negócio atinja os objetivos necessários para seu crescimento e desenvolvimento.

Quais as vantagens da metodologia DMP?

Por meio da metodologia DMP, são identificados todos os fatores de problemas e que exigem melhorias, com uma análise diagnóstica da situação atual da empresa. Mas também é desenvolvido um mapa estratégico com as ações necessárias para que a organização atinja seus objetivos.

Nesse mapa estratégico estão presentes os objetivos estratégicos do negócio, as premissas adotadas, os passos necessários para que os alvos sejam alcançados e, também, as ações necessárias nas áreas de marketing, vendas e serviços.

Nesse momento, é importante destacar que é elaborado um plano de ação detalhado para cada uma das intervenções a serem realizadas na empresa, nos gargalos e nas necessidades de melhoria.

Posteriormente, também é desenvolvida, após a aplicação total da metodologia DMP, todo o processo tecnológico que dará suporte às estratégias e necessidades do empreendimento, com o desenvolvimento do CRM adequado para as particularidades do negócio e das ferramentas necessárias para que os objetivos possam ser alcançados.

Quando implementar essa metodologia na empresa?

A implementação da metodologia DMP é recomendada quando a empresa está buscando alinhar as necessidades estratégicas, tecnológicas e de processos, visando atingir os objetivos e metas do negócio, contando com suporte especializado em cada uma das etapas.

Ela é recomendada para empresas que precisam contar com o conhecimento técnico e estratégico para realizar a análise das suas necessidades, soluções a serem utilizadas e do desenvolvimento de planos de ação que transformem os gargalos em possibilidades por meio de ferramentas, processos e conhecimento técnico.

Vale destacar que na metodologia DMP é realizado um trabalho de consultoria, em que são levantadas as diretrizes, processos, riscos e necessidades da empresa para compreensão do negócio. Posteriormente, é desenvolvido, de forma conjunta, o plano de ação com os processos necessários para sua execução, sendo um trabalho profundo e conjunto para obtenção de resultados.

Como a Trinity pode ajudar nesse processo?

Especializada na implementação e desenvolvimento da metodologia DMP, a Trinity tem como premissa fundamental auxiliar as empresas no planejamento e execução do projeto de CRM. Isso é realizado por meio de uma compreensão aprofundada do negócio e dos processos da organização.

Com o auxílio do mapeamento das pessoas, processos e tecnologias utilizadas e aplicáveis e também do levantamento das necessidades, oportunidades e riscos, a Trinity desenvolve todo o planejamento necessário para que a adoção do CRM seja realizada de maneira eficiente e com os melhores resultados.

Por meio da consultoria desenvolvida com a metodologia DMP são explorados os objetivos estratégicos da empresa, construída e desenvolvida a visão estratégica de CRM, trabalhada a construção da cultura de uso de CRM pela organização com a aplicação dos valores e crenças da empresa, com definição de objetivos de curto, médio e longo prazo, além da reestruturação de processos, ações e diretrizes estratégicas.

Esperamos que tenha gostado de entender melhor o que é a metodologia DMP, como ela funciona, as vantagens de sua aplicação e o momento adequado para sua implementação. Se você ficou com alguma dúvida ou deseja contar com o suporte especializado para a aplicação em sua empresa, entre em contato conosco!

Muitos empresários ainda apresentam dificuldades quando o assunto é marketing. Se você é um deles, então saiba que isso é perfeitamente normal e que há maneiras de resolver o problema. Por conta das mudanças constantes na área, contratar uma consultoria estratégica pode ser a melhor solução.

A forma de consumir muda um pouco a cada dia e, mesmo que a sua empresa tenha uma equipe interna de marketing, pode não ser o suficiente. E esse é um ponto muito importante, pois está diretamente relacionado com o seu cliente.

Ao contratar uma consultoria, o especialista direcionará a sua estratégia de acordo com os objetivos da empresa: conquistar mais clientes, fidelizar os que já tem e rentabilizar os existentes e assim por diante.

E, caso você ainda precise de mais motivos para contratar agora mesmo uma consultoria estratégia, então listamos abaixo alguns que são bem relevantes. Acompanhe a leitura!

1. Oferece um método

Criar objetivos e metas e não saber como percorrer o caminho até alcançá-los não vai adiantar muito. Nesse aspecto, ter um especialista em estratégia de marketing e vendas ajuda a criar esse caminho. Enquanto a consultoria define, em conjunto com as pessoas-chave da organização a estratégia e as táticas operacionais, o restante da equipe poderá focar na execução, análise e acompanhamento dos resultados.

Essa é uma excelente vantagem para aquelas empresas que ficam um tanto perdidas no meio desse processo e acabam fracassando por conta disso.

2. Dá a orientação sem tirar autonomia

Não é o consultor quem ditará as regras, apesar de ele ser o especialista no assunto. A sua empresa sempre terá a autonomia necessária para decidir o que é e o que não é melhor para ela. Afinal de contas, você entende melhor do seu negócio do que qualquer outra pessoa.

O que o consultor fará é dar sugestões sobre quais os caminhos e os passos que a sua empresa deve fazer para alcançar os objetivos desejados. Algo bem diferente se compararmos à situação na qual a empresa terceiriza o setor de marketing por completo.

3. Conquista o cliente certo no momento certo

Imagine se no meio do verão uma empresa oferece a você uma supernovidade: uma manta com tecido de inteligência artificial que esquenta o seu corpo de acordo com a variação da sua temperatura.

A ideia é excelente e o produto está com um ótimo preço. Porém, dificilmente, você fará a compra pelo simples fato de que está morrendo de calor em um verão tropical. Isso apenas significa que o produto foi oferecido para o cliente errado no momento errado.

Assim, a consultoria de marketing e vendas evita esse tipo de situação. Ela consegue definir de maneira clara quem é a sua persona e o seu público-alvo, seu calendário de comunicação, evitando erros como esse mencionado no exemplo acima.

4. Proporciona um olhar de fora

Já ouviu a frase “quem vê de fora, vê melhor”? Em algumas situações, como no caso de uma empresa, é verdade e o consultor oferecerá o melhor olhar nesse caso.

Com uma visão analítica e um olhar mais especializado, o consultor consegue mostrar os principais pontos que precisam ser melhorados ou modificados por completo. Isso é feito com base em sua experiência e informações que já tem combinadas com as da empresa.

Viu como uma consultoria estratégica pode ser exatamente o que a sua empresa está precisando? Então entre em contato com a gente e descubra como podemos ajudar o seu negócio a crescer!

Com o aumento visível do acesso à internet e a proliferação das opções de atendimento, o consumidor está cada vez mais exigente e atento às empresas que lhe oferecem opções que vão além do telefone ou do e-mail, sendo importante que elas estejam presentes nas mais diversas plataformas por meio de uma estratégia omnichannel.

No entanto, muitas empresas ainda não compreendem o que é ou quais são os elementos que compõem uma estratégia omnichannel, já que esse é um termo novo e que vem ganhando espaço recentemente. Apesar disso, passou a ser imperativo que as empresas que desejam obter resultados estratégicos busquem por maneiras de oferecer essa experiência aos clientes.

Neste artigo, explicamos o que é uma estratégia de omnichannel, como funciona esse conceito e quais são as vantagens oferecidas por esse tipo de estratégia para a empresa e para os resultados. Confira abaixo e entenda melhor!

Entenda o que é omnichannel

Bastante popular atualmente e muito adotada pelas empresas como estratégia de comunicação com os clientes, a chamada estratégia omnichannel ainda causa dúvidas sobre seu significado, especialmente porque se trata de uma palavra ainda desconhecida. Podemos dividir essa palavra em duas partes, sendo “omni” o prefixo em latim para “tudo”, enquanto “channel” é uma palavra de origem inglesa, que podemos traduzir como canal.

Com isso, é possível simplificar dizendo que ela é, por definição, aquela que se utiliza de todos os canais disponíveis para interagir e se comunicar com o cliente. No entanto, mesmo essa simplificação pode não ser suficiente para compreender a abrangência e as possibilidades desse tipo de estratégia.

Quando falamos em uma estratégia omnichannel, estamos falando da possibilidade do cliente, que visita uma loja física, conferir se existe estoque do produto que deseja diretamente pelo aplicativo da empresa.

Também pode ser que ele esteja entrando em contato para realizar uma reclamação, tendo a oportunidade de fazê-la por uma rede social, por exemplo. Após isso, pode-se dar continuidade ao atendimento por meio do telefone, de outra rede social ou pessoalmente, de forma conectada e sem perdas de informações.

Ao adotar esse tipo de estratégia, sua empresa se torna mais competitiva, pois vai ao encontro do desejo do cliente de contar com diversos canais de atendimento e relacionamento, podendo escolher aquele que melhor se encaixa em sua necessidade e realidade.

Descubra as vantagens do omnichannel

Entendido o que é omnichannel e como essa estratégia funciona, é interessante compreender quais as vantagens oferecidas por sua adoção em seu negócio. Veja a seguir alguns dos pontos mais importantes.

Aprimorar o relacionamento com o cliente

Ao oferecer ao cliente diversos canais e ferramentas para comunicação, sua empresa desenvolve um relacionamento mais próximo e efetivo com os clientes, que passam a contar com a possibilidade de escolher qual a melhor maneira de se comunicar com seu negócio.

Além disso, é possível afirmar que a estratégia omnichannel desenvolve um contato mais direcionado aos interesses do cliente, o que aumenta sua satisfação e também os índices de fidelização.

Aumento da taxa de conversão e do ROI

Também é interessante destacar que as estratégias omnichannel, por sua efetividade no atendimento ao cliente e na satisfação de suas demandas, apresentam impacto direto nas taxas de conversão de um negócio. Além disso, ao aumentar a fidelização do cliente e seu ticket médio, o omnichannel também contribui para o aumento do ROI.

Maior possibilidade de captação de clientes

Estar presente em diferentes canais permite que a empresa seja vista e esteja em contato com um número maior de possíveis clientes, aumentando também a possibilidade de captação de novos negócios. Isso influencia diretamente nos resultados financeiros e torna essa metodologia ainda mais importante para empresas que desejam se destacar da concorrência.

Saiba como usar o Dynamics 365 como estratégia omnichannel

Plataforma desenvolvida pela Microsoft e oferecida como uma solução para a adoção de estratégias de gestão do relacionamento com clientes incluindo omnichannel, o Dynamics 365 é uma poderosa ferramenta de CRM, que trouxe ao mercado maior automação de processos e mais inteligência de negócio para a administração das empresas.

O sistema oferece diversas funcionalidades que permitem que a empresa esteja presente em diversos canais de atendimento de forma integrada, garantindo mais eficiência e melhorando os resultados. Além disso, a ferramenta conta com várias possibilidades que permitem automatizar e simplificar processos. Confira algumas delas a seguir, nos próximos tópicos.

Integração dos contatos oriundos de diferentes canais e redes sociais em um mesmo painel

O Dynamics 365 permite integrar diferentes canais, como telefone, e-mail, redes sociais (dentre elas Facebook, Instagram e LinkedIn), de forma a permitir um atendimento continuado e sem perdas para o usuário.

Por meio dele também é possível obter informações das diversas redes sociais em um só local, tornando o acompanhamento de menções, comentários e mensagens uma tarefa unificada e mais eficiente.

Processo de automação de relacionamento com o cliente

Também é possível usar o Dynamics 365 para automatizar o relacionamento com o cliente, por meio do desenvolvimento de uma régua de interações com o mesmo, tendo como objetivo levar a mensagem certa para o cliente mais adequado no momento onde este se mostra mais disponível e propenso àquela interação.

Com isso, passa a ser possível a comunicação com o cliente por meio dos canais que ele mais utiliza e prefere, aumentando seu engajamento e tornando suas interações mais orgânicas.

Desenvolvimento do lead até a decisão de compra

Por meio do Dynamics 365, a empresa conta com informações mais claras do momento em que o cliente está dentro de sua jornada de compra, o que permite adotar estratégias que contribuam para sua conversão. Ao entender com clareza qual o momento do cliente no processo de decisão, passa a ser possível direcionar esforços, comunicação e marketing de forma adequada à realidade de cada cliente.

Como você pode perceber, adotar o uso do Dynamics 365 para operacionalizar sua estratégia omnichannel é uma maneira interessante e eficiente de tornar a presença de sua empresa mais ampla e de oferecer atendimento multiplataforma para seu usuário, garantindo que ele seja atendido da maneira que julgar melhor e mais eficiente, aumentando também seus índices de satisfação.

O que você achou de entender melhor como usar o Dynamics 365 em sua estratégia omnichannel e as vantagens que ele pode oferecer para seu negócio? Se você gostou ou tem alguma dúvida sobre o seu funcionamento ou implementação, entre em contato conosco!

Não é incomum encontrar empresas que prestam atenção apenas ao processo de venda, mas se esquecem do momento do pós-venda. O marketing pós-venda é tão importante quanto as demais etapas de todo o processo. Ele nada mais é do que aquela interação efetuada depois de finalizada a aquisição. E isso pode se dar das mais variadas formas.

O marketing pós-venda é de suma relevância para a construção de um bom relacionamento da marca com o cliente, conseguindo dessa forma a fidelização e o aumento da possibilidade de compras futuras.

O objetivo deste artigo é mostrar a importância do marketing pós-vendas para o sucesso empresarial da marca. Para isso, apresentamos excelentes dicas de ações que podem ser implementadas para a fidelização e, sobretudo, a rentabilização do cliente.

Dicas de como fazer um bom marketing pós-vendas

Visto que o marketing pós-vendas é fundamental para a manutenção e rentabilização de clientes existentes e para o sucesso do negócio, forneceremos abaixo algumas dicas incríveis de como você pode fazer um bom marketing pós-vendas. Confira!

O poder do Welcome Contact

É bastante normal que uma parcela considerável dos novos clientes se arrependa após uma compra realizada, principalmente quando o produto ou serviço adquiridos são de alto valor. Quando eles são tomados por esses sentimentos negativos de insegurança ou arrependimento, eles podem pensar coisas como “Eu realmente precisava ter comprado esse produto?”, “Será que não tem nenhum produto mais barato no mercado?”.

É diante desse possível desconforto emocional, que a empresa deve agir. Entrar em contato com o cliente após uma compra, reforçando que esta foi a melhor escolha que ele poderia ter feito e colocar-se a disposição para quaisquer dúvidas faz com que o cliente sinta-se mais seguro e confortável em sua decisão. Neste contato de boas-vindas a empresa ainda pode aproveitar para confirmar os dados cadastrais do cliente e agendar um contato futuro para medir sua satisfação.

Aplique os conceitos de CRM

O CRM (Customer Relationship Management) é uma filosofia de negócio muito eficaz no que tange a construção de relacionamentos estratégicos com os clientes.

Por meio dos conceitos e abordagens de CRM, a companhia tem a capacidade e oportunidade de conhecer melhor o comportamento e as necessidades de seu público consumidor, estabelecendo e firmando um relacionamento de longo prazo entre o cliente e a instituição.

Além disso, as ferramenta de CRM permitem a criação e gestão de campanhas de marketing segmentadas e ainda, a automação de réguas de comunicação que fortalecem e estreitam o relacionamento com clientes.

Fortaleça os canais de relacionamento

Para auxiliar nas suas campanhas de marketing pós-venda, construindo e fortalecendo a relação da empresa com o cliente, é igualmente fundamental o desenvolvimento de canais de relacionamento eficientes. Essa estrutura é muito importante para servir de apoio ao estabelecimento dessa relação.

Ter um excelente serviço de atendimento, bem-estruturado, é importante para essa finalidade. Além disso, a companhia precisa marcar presença nos mais variados canais de comunicação, como e-mail, redes sociais, aplicativos, assegurando que o cliente consiga contatá-la mais facilmente e a fim de obter respostas às suas demandas de forma ágil e assertiva.

Desenvolva programas de fidelização

O programa de fidelização é uma forma da companhia valorizar os clientes mais antigos, aqueles que compram mais, não somente em volume, mas sobretudo com maior frequência. É a valorização da lealdade nessa relação. Como o cliente dá preferência para a empresa, ele merece algo a mais do que apenas descontos.

O marketing pós-vendas é um instrumento que garantirá que os clientes estarão satisfeitos não somente com o atendimento em si, mas com a aquisição e a empresa como um todo. Além de comprarem com maior assiduidade, também indicarão a companhia para outras pessoas.

Gostou do nosso artigo? Então, conheça também as respostas para as 5 principais perguntas sobre CRM de quem ainda não usa!

Em um mercado cada vez mais exigente e concorrido, nada mais justo do que buscar se utilizar de diferentes ferramentas, técnicas e metodologias. Aprimorar seus atributos e práticas é fundamental para garantir e aumentar as vendas do negócio. Inteligência competitiva e vendas juntas fazem mágica.

A inteligência competitiva é um processo que envolve o levantamento e a análise de dados. Em virtude dessas operações, ocorre a geração de um conjunto de informações para facilitar o entendimento das condições de funcionamento do setor e de todos que trabalham nele.

Esse instrumento funciona a partir, do monitoramento dos processos internos e das ações da concorrência. Monitorar os concorrentes é essencial para desenvolver a inteligência competitiva na empresa. A razão por trás disso é que, dessa forma, é possível saber o que os demais players estão fazendo de bom e não tão bom assim, identificar oportunidades, promover transformações internas e obter uma vantagem diante do mercado.

Apresentamos, ao longo deste artigo, excelentes dicas a respeito da aplicação da inteligência competitiva nas vendas. Boa leitura!

Colete dados oriundos do mercado

A primeira e uma das etapas mais importantes nesse objetivo de aplicar a inteligência competitiva é a coleta de dados do mercado. Toda essa imensa base de dados pode e deve ser utilizada para realizar a identificação da concorrência e averiguar os seus possíveis atributos.

Esse conjunto de dados será extremamente útil, pois com ele será possível efetuar uma comparação ampla e complexa usando fontes de dados externas, sejam elas públicas ou não, tais como IBGE, CAGED, DCINFO para, dessa forma, ser capaz de identificar ameaças e oportunidades, assim como focar e destinar recursos para onde eles são de fato necessários.

Efetue um mapeamento completo da concorrência

Assim que tenha sido realizada uma abrangente coleta de dados, em etapa anterior, é a hora de se efetuar um mapeamento completo da concorrência. Com os dados obtidos, a empresa será capaz de fazer uma análise de onde a concorrência está situada e descobrir qual a região ou segmento onde existem mais oportunidades e potencial de venda.

É por intermédio dessa análise da concorrência que se pode compreender tudo aquilo que define o mercado, ou seja, suas características e comportamentos e conseguir ter ideias interessantes a respeito da estratégia dos concorrentes.

Faça um planejamento minucioso

Parte de inteligência competitiva aplicada às vendas está conectada com a aplicação de informações e elaboração de abordagens e estratégias. Sendo assim, elabore um planejamento bem detalhado, definindo e descrevendo cada uma das etapas do processo de vendas, desde o contato com os fornecedores até o momento do pós-vendas.

Utilize a tecnologia a seu favor

Use a tecnologia de automação a favor das suas vendas. Para facilitar a organização e dar mais praticidade às atividades, existem diversas ferramentas de CRM que podem ajudá-lo. Esses softwares podem ser usados tanto na etapa da coleta de dados, quanto na execução das ações cotidianas. Eles otimizam custos, tempo e elevam o desempenho.

Outra ferramenta essencial para a inteligência competitiva são os softwares de Business Intelligence, capazes de consolidar dados de diferentes fontes, realizar cruzamento entre estas base, gerar análises avançadas de negócios, mapear tendência e monitorar o desempenho das ações.

Inteligência competitiva e vendas devem caminhar em conjunto, se o desejo de crescimento e melhoria para a organização é genuíno. É a racionalização criativa do processo que trará melhores resultados.

Quer saber como transformar os dados em elementos inteligentes para a expansão dos negócios? Então leia esse nosso outro artigo sobre o assunto.

Para poder atuar com eficiência, a sua companhia depende da obtenção de informações confiáveis. Para tal finalidade, a inteligência competitiva e inteligência de mercado podem ser de grande auxílio e, dessa forma, viabilizar a conquista de melhores resultados.

Mas qual a diferença entre elas? É justamente o que explicaremos ao longo deste artigo, bem como a relevância de cada uma para o seu negócio.

As principais diferenças entre inteligência competitiva e inteligência de mercado

De modo geral, a inteligência de mercado está ligada à coleta e análise de dados para que seja possível um entendimento mais amplo do segmento de mercado o qual a sua organização faz parte. O objetivo é compreender o cliente e o comportamento de compra que ele apresenta. Ou seja, seu foco principal reside no cliente.

Por outro lado, a inteligência competitiva usa a coleta e subsequente análise dos dados para poder entender melhor como funciona a concorrência e quais as condições em que ela se encontra.

Continuando a falar de inteligência competitiva, vale informar que ela age com dados relacionados às estratégias e técnicas de empresas que fazem parte da concorrência, assim como as suas respectivas porcentagens de participação no mercado, qualidades, pontos fracos e o tamanho do impacto que podem exercer sobre o seu negócio.

Tendo em vista que a inteligência de mercado está focada no cliente, é muito comum o uso de análises de estatísticas sociais e econômicas. Um exemplo prático disso: consideração de dados demográficos, populacionais, demandas, entre muitos outros.

Elas detêm focos diferentes um do outro, e a maneira de aplicar os planos e estratégias também se altera. É com a ajuda da inteligência de mercado que você é capaz de levantar informações que possibilitam a sua empresa elaborar novos produtos e serviços, aprimorando aqueles que já estão presentes no seu catálogo para conquistar novos clientes e os fidelizar.

Já no que se refere à inteligência competitiva, é plenamente viável a construção de variadas estratégias para poder sair à frente da concorrência, elaborando formas bastante específicas para se destacar, a fim de conseguir uma posição mais privilegiada no mercado.

Relação entre inteligência competitiva e inteligência de mercado

A inteligência competitiva e inteligência de mercado possuem focos distintos, de maneira que não deve haver confusão entre elas durante o processo de desenvolvimento do planejamento estratégico de sua companhia e na gestão como um todo.

Porém, a intenção de ambas é diminuir ao máximo os riscos do negócio e obter uma elevação no desempenho geral da companhia, com um aumento expressivo dos lucros e receitas.

Esses dois tipos de inteligência podem ter ações complementares. É possível que, por exemplo, uma parcela dos clientes opte pela concorrência por uma série de motivos.

Nesse caso, você pode usar a inteligência de mercado para compreender os motivos que levaram o cliente a fazer essa escolha. Já a inteligência competitiva pode ser usada para estudar o que a concorrência fez para obter esse resultado e o que você pode apreender disso para reverter a situação a seu favor.

A importância de ambas para o seu negócio

A importância da inteligência competitiva e inteligência de mercado é que, com a ajuda delas, você pode aprimorar os resultados do seu negócio, elevando o índice de vendas e dando mais base para fundamentar as suas ações de marketing por meio do desenvolvimento de estratégias e elaboração de planos.

Gostou do post? Então, assine a nossa newsletter e se mantenha bem informado sobre conteúdos úteis para a sua empresa!

A estratégia de dados é um conjunto de escolhas e decisões que, juntas, traçam um curso de ação para alcançar objetivos de alto nível. Isso inclui planos de negócios para usar informações de maneira estratégica e gerenciar desempenhos.

Essa é uma oportunidade de elevar sua linha de produtos e serviços existente, comercializá-la e desenvolvê-la melhor, além de usá-la para melhorar o atendimento e obter uma compreensão abrangente de seu cliente.

Neste artigo, você vai saber por que investir em uma estratégia de dados, o que compõe uma estratégia de sucesso e os passos para elaborar uma para sua empresa. Acompanhe.

Por que investir em uma estratégia de dados?

Sem uma visão centralizada, diferentes setores da empresa trabalham com os dados de forma diferente. Isso, inevitavelmente, leva a distintas conclusões dentro da organização, tornando mais difícil extrair novas ideias das informações disponíveis, além de gerar custos desnecessários.

Uma estratégia de dados, por outro lado, fornece base para todos os esforços no planejamento empresarial. Esse é o recurso que permite a unificação das expectativas de negócios e de TI, de modo que todos os fluxos de informação — cadastro de clientes, ações de marketing, Big Data etc — sejam utilizados para alcançar os objetivos da empresa.

O que compõe uma estratégia de dados bem desenvolvida?

Podemos definir uma estratégia como eficaz quando envolve:

  • uma visão forte de gerenciamento de dados;
  • uma missão de negócio;
  • princípios orientadores, valores e perspectivas de gestão;
  • métricas de sucesso;
  • objetivos do programa em curto, médio e longo prazo;
  • papéis e responsabilidades apropriadamente concebidos.

Assim, uma boa estratégia alinha as atividades de dados e análises com as principais prioridades, missões e objetivos da organização.

Além disso, essa maneira de gerir ajuda a organizar, governar e implementar os recursos de informação de uma organização, que podem ser aplicados em todas as indústrias e níveis de maturidade de dados.

Quais são os passos para elaborar uma estratégia de dados?

Nesta etapa, é importante definir métricas de desempenho e como a gestão dos dados empresariais vai auxiliar no alcance dos objetivos e em processos organizacionais. Nesse sentido, torna-se necessário:

  • determinação em relação às funções, em termos de quem possui quais dados ou sistemas de dados;
  • declaração de missão em relação à exploração de ativos de dados;
  • expectativas para métricas de nível de serviço em toda a empresa (para sistemas de dados e qualidade de dados);
  • versões introdutórias de todas as sub-estratégias específicas, como Business Intelligence, governança de dados, EDW, MDM, Gerenciamento de Conteúdo, Dados Gerais, etc;
  • decisões de planejamento de nível superior ou expectativas para fazer esses projetos;
  • identificação dos principais desafios empresariais e decisões de design.

Apesar do atual cenário da era da informação, muitas empresas ainda não têm processos estruturados para aproveitar dados importantes. Portanto, é possível levar o seu negócio a outro patamar no mercado com uma estratégia de dados.

Gostou do artigo? Deseja receber os melhores conteúdos a respeito da ciência dos dados aplicada ao contexto empresarial? Então, não deixe de assinar nossa newsletter para receber as nossas novidades.