Métricas de marketing: 3 indicadores para você ficar atento ?

Quando bem utilizadas, as métricas de marketing podem ser as maiores aliadas da sua organização. Elas mostram onde você está cometendo erros, apontam ações para corrigi-los e revelam oportunidades valiosas para suas estratégias.

Todavia, há uma enorme quantidade de métricas disponíveis no mercado que podem facilmente distrair nossa atenção. Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo os principais indicadores que devem ser analisados para identificar a efetividade das suas ações de marketing. Boa leitura!

1. Visitantes

O número de visitantes representa o volume de tráfego que o seu site ou blog recebeu. Não se trata da quantidade de pessoas que acessaram a página da empresa, mas quantas visitas esses usuários fizeram em um determinado período.

É como mensurar quantas pessoas entram em uma loja física, uma vez que a mesma pessoa pode retornar em dias e horários diferentes.

Embora seja algo, a priori, simples, esse indicador dá uma boa ideia do escopo de seus negócios na internet. Por meio dele, você consegue saber exatamente quantas pessoas acessam determinado conteúdo diariamente. Afinal, quanto mais visitantes o site recebe, maiores são as chances de aumentar as vendas.

2. Taxa de conversão

A conversão pode ser interpretada como um passo dado pelo visitante no caminho que o converterá em um cliente. Essa etapa pode envolver assinar a newsletter, registrar-se em uma promoção, baixar o catálogo de produtos ou, até mesmo, realizar uma compra.

A conversão pode ser utilizada para diferentes propósitos, no entanto, é sempre o primeiro objetivo de uma campanha de marketing. Portanto, é altamente recomendável que você monitore de perto esse indicador.

As causas que levam um site a não gerar (ou gerar poucas) conversões podem ser encontradas em diferentes fatores, desde problemas na usabilidade até a falta de clareza quanto aos benefícios e próximos passos a serem dados pelo visitante (as conhecidas chamadas à ação ou CTAs, na sigla inglesa).

O cálculo da taxa de conversão é muito simples. Basta dividir o número de leads gerados pelo número de visitas do site em um determinado período:

Taxa de conversão (%) = número de contatos / número de visitas.

3. ROI (Retorno Sobre Investimento)

O Retorno Sobre Investimento (ROI, na sigla inglesa) é, sem dúvida, um dos indicadores mais importantes para qualquer empresa, à medida que lida diretamente com a geração de lucros.

No marketing digital, é indispensável conhecer a rentabilidade gerada por uma ação específica, como uma campanha publicitária ou, até mesmo, toda a estratégia colocada em prática.

O Retorno Sobre Investimento mostra apenas a eficácia de gerar lucros sobre o capital investido. Além disso, ajuda a decidir quando (e se) você deve aumentar os investimentos. Uma vez que o ROI é positivo e a empresa tenha capacidade de produção, o ideal é aumentar os investimentos em marketing digital.

O cálculo é bastante fácil. Para encontrar o RI você deve calcular a diferença entre o valor total da receita menos o total de investimentos em marketing digital e dividir pelo valor investido:

ROI (%) = receitas auferidas – valor investido / valor investido

Ao aplicar as métricas de marketing mais adequadas às especificidades de sua organização e às características gerais de seu segmento de atuação, lembre-se de que aquilo que não é medido não pode ser melhorado. Bons negócios!

Gostou do nosso post? Então, não perca a oportunidade de continuar se aprimorando: saiba como a combinação entre CRM e Gestão Empresarial pode ser vantajosa!

Entenda o que é a automação de processos e a sua importância

Qualquer gestor que se preze sabe que a inovação é uma das chaves do sucesso no negócio. Fazer com que a empresa evolua tecnologicamente é um dos fatores que contribui para uma maior lucratividade e rentabilidade. Para garantir essa inovação, é fundamental saber o que é automação de processos.

O objetivo deste artigo é explicar o que é automação de processos e quais são os benefícios que ela traz para as empresas. Começaremos explicando no que essa prática consiste, apresentando um breve panorama histórico sobre ela.

A seguir, apresentaremos os principais benefícios que evidenciam a importância da automação de processos para as empresas. Boa leitura!

O que é automação de processos?

O conceito de automação de processos consiste na existência de um fator que possibilita a integração de uma série de tecnologias diversas no cotidiano das organizações, nos mais diferentes aspectos, desde tarefas pequenas e simples até processos inteiros e atividades complexas.

A automação atua como um elemento facilitado dentro do ambiente organizacional, otimizando tempo, recursos, elevando a produtividade, diminuindo a incidência de erros e permitindo que se foque nas atividades prioritárias.

Esse processo de automação tem seus primórdios na Revolução Industrial, quando houve uma transformação nos modos de produção. Posteriormente, com a implantação do fordismo e a linha de montagem, a automação atingiu níveis maiores.

O advento da informática, junto também com a internet, foi mais uma revolução tecnológica que aumentou os índices de produtividade e elevou o desempenho das companhias.

Quais são os benefícios da automação de processos?

Confira, a seguir, os benefícios da automação de processos.

Facilidade de acesso e maior circulação das informações

A partir do momento em que você promove a substituição de atividades de caráter manual por um programa especificamente direcionado para isso, você desfruta de uma série de vantagens e benefícios.

Com esse tipo de implementação, todas as informações utilizadas pelo sistema são disponibilizadas a todos os departamentos, facilitando o compartilhamento de dados obtidos nas diferentes seções.

Redução dos custos produtivos

A automação não somente racionaliza os processos, reduzindo a ocorrência de erros, como acaba acarretando uma redução bastante expressiva dos custos de produção e diminuindo qualquer desperdício que eventualmente possa ocorrer. Ela ajuda a levantar onde a eficiência está menor e assim evitar que ocorram desperdícios.

Otimização do tempo laboral

Um dos maiores ganhos gerados pela automação de processos é a otimização do tempo de trabalho. Tudo aquilo que for essencialmente manual, mecânico, repetitivo e burocrático é automatizado, produzindo assim uma economia de tempo, que pode ser melhor aproveitada para o trabalho nas funções concretas, reais.

Como efetuar a automação de processos na empresa?

Para que a automação de processos seja bem-sucedida na empresa, é fundamental que gestores e colaboradores trabalhem em conjunto no levantamento das atividades que podem e devem ser automatizadas. Eles devem se engajar para que a implementação transcorra com o mínimo de erros.

Este artigo sobre o que é automação de processos foi interessante para você? Gostaria de se manter informado sobre outros conteúdos semelhantes? Então curta a nossa página no Facebook!

Do marketing ao pós-venda: as vantagens do CRM no Customer Journey

A jornada do cliente (ou Customer Journey) é uma estratégia de modelagem de processos e de negócios que permite que as empresas gerenciem as interações com os clientes em todas as fases do seu ciclo de vida.

O objetivo é mapear a trajetória de interações dos clientes, desde o marketing até o pós-vendas e entender perfil, necessidade e comportamento para oferecer a eles os melhores produtos e serviços, no momento certo, utilizando a abordagem mais adequada.

Automatizar essa prática é uma das principais vantagens do CRM. Caso queria ir mais a fundo neste conceito, você está no lugar certo! Neste artigo, abordamos os grandes benefícios do CRM na jornada do cliente. Confira!

1. Armazenamento de dados dos clientes

Uma das coisas mais importantes na aplicação da jornada de clientes é saber quem é o seu público-alvo. Para ser capaz de identificar quem você deve atrair e conquistar, é preciso saber o máximo de informações possível sobre esses consumidores, desde dados cadastrais, como nome, endereço e afins, até o perfil do cliente, o feedback sobre a experiência de compra e assim por diante. Esses dados são importantes para a posterior elaboração de estratégias.

Com o auxílio desse tipo de ferramenta, é possível armazenar de forma automática todos os dados dos clientes, mesmo aqueles que são apenas clientes em potencial. As informações contidas nele podem ser facilmente acessadas e atualizadas.

2. Processo de automatização de ações

Fidelizar clientes se tornou algo bastante complexo, sobretudo após a transformação digital. Eles estão muito mais informados e igualmente mais exigentes. Cumprir as expectativas dos consumidores sobre produtos e serviços, bem como obviamente o nível de qualidade do atendimento é uma tarefa desafiadora.

Dentro dessa perspectiva, é fundamental haver ações de relacionamento que sejam automatizadas.  O objetivo disso é transformar em processos automáticos as ações e tarefas mais rotineiras do relacionamento com os clientes, desde a tarefa de envio da confirmação do pedido de venda, até a ligação de pós-vendas. Tornar o processo repetível e automatizar as atividades rotineiras fará com que o atendimento e as demais áreas foquem no que de fato é relevante: estratégia, satisfação e resultado.

3. Direcionamento de estratégias

A partir do momento em que você obtém informações dos prospects e clientes o passo seguinte é clusterização destes indivíduos em grupos semelhantes e a definição dos objetivos a serem alcançados.

Um bom exemplo é a aplicação do funil de vendas, que deve ser realizada com maestria, classificando o seu público consumidor em consonância com o estágio do funil que ele se encontra. Desse modo, com o direcionamento de estratégias e as ações de marketing e vendas serão mais eficazes.

Ou seja, objetivos diferentes como captação, conversão, retenção, fidelização, rentabilização ou recuperação exigem ações estratégicas distintas e abordagens direcionadas para cada grupo de cliente.

4. Criação de campanhas completas de relacionamento

Um ponto importantíssimo no processo de gestão da Jornada do Cliente (Customer Journey) é a criação de campanhas de marketing completas que atingem desde o prospect até o cliente fiel.

Com o CRM, fica fácil monitorar em que fase da jornada o cliente está e automatizar as ações de comunicação e de relacionamento que são estratégicas para a sua companhia, criando campanhas completas compostas dos mais diversos elementos (e-mail marketing, telefonema, social post etc) e para os diferentes estágios do Customer Journey.

5. Arquivamento do histórico de relação

É plenamente possível armazenar, de forma organizada, todo esse histórico de interações da sua empresa com os clientes e as respostas às ações. São arquivados contatos desde os primeiros momentos, nos quais o então consumidor em potencial está apenas “sondando” a companhia, até o período do pós-venda. Isso é igualmente essencial na estratégia de marketing e vendas da companhia, além de facilitar o atendimento.

As vantagens do CRM no Customer Journey são inúmeras, o que o torna uma maravilhosa ferramenta de automação, controle e gestão. No entanto, esse processo de automatização não pode fazer com que você se esqueça de que o cliente jamais deve ser tratado sob uma perspectiva generalizante.

Quer saber mais sobre a Jornada e o Ciclo de Vida do Cliente? Entenda o Lifetime Value (LTV) e a importância dessa métrica.