Posts

O BI (Business Intelligence), como o nome já demonstra, é uma inteligência voltada para empresas. Estamos falando de análises inteligentes dos negócios efetuadas através do cruzamento de dados internos e externos, suportados por boas ferramentas para entender os resultados e as operações da empresa e montar um planejamento delineando as próximas estratégias.

A grande importância desse cruzamento de dados está em fazer com que a empresa se volte um pouco mais a compreender o comportamento e as necessidades dos clientes já existentes uma vez que essas informações ajudarão a fidelizar aqueles que já se relacionam com seus negócios.

É claro que essa análise de dados também pode ser utilizada para conquistar novos clientes. A partir das informações coletadas dos clientes já existentes, é possível traçar um perfil mais fidedigno do público-alvo da empresa, ou seja, dos seus clientes mais rentáveis e “clonar” este perfil, direcionando ações de captação para potenciais clientes com perfil semelhante. Dessa forma, usar o BI no cruzamento de dados de clientes também é uma maneira de se destacar na concorrência.

Quer entender um pouco mais sobre esse assunto? Então, continue a leitura e descubra agora como fazer o cruzamento dessas informações e utilizar essa técnica a favor do seu empreendimento. Acompanhe!

Como realizar o cruzamento de dados por meio do BI?

O BI oferece esse serviço da seguinte maneira: digamos que uma empresa tenha diversos departamentos — vendas, marketing, logística, cobrança e outros — e cada um deles tem determinadas informações a respeito dos clientes. O BI consegue integrar esses dados e, a partir disso, a empresa consegue tomar decisões mais acertadas, com uma menor margem de erro.

A questão agora é: onde estarão esses dados iniciais? Bom, nesse caso, a sua empresa já precisa ter estes dados armazenados de forma estruturada. Pode ser em sistemas, como ERP (Sistema Integrado de Gestão Empresarial), CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente) e DW (Armazém de Dados) ou até mesmo em planilhas Excel. Outras fontes de dados possíveis que podem trazer informações valiosas são as estatísticas do seu site, do blog, das suas redes sociais e outras mais que tiver acesso.

Esses dados internos também pode ser cruzados com os externos. Por exemplo, pode ser interessante conhecer um pouco mais sobre as características da população em determinada região. Por isso, utilizar informações do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) pode ser uma boa estratégia para entender ainda mais o seu negócio.

Por que utilizar o BI nesse processo?

Muitos acham que o BI é desnecessário e que utilizar o cruzamento de dados de maneira “crua”, ou seja, sem aplicar os conceitos e ferramentas de Business Intelligence, é uma opção. Mas, vamos mostrar a você agora por que utilizar o BI é a melhor escolha. Veja!

Melhora a eficiência

Com a ajuda do BI, os gestores conseguem identificar um problema em tempo real e resolvê-lo de maneira mais rápida, monitorando o painel de controle pelo próprio ceular. Outra vantagem é que essas informações podem ser compartilhadas rapidamente, fazendo com que mais cabeças tentem resolver o mesmo problema.

Reforça o processo de trabalho

A introdução do BI na análise de dados da empresa permite que a equipe não foque apenas nos números mais sim em criar estratégias e soluções. Outro ponto é que os gestores de cada área conseguem fazer ajustes em erros durante o processo, evitando que um problema maior seja criado na outra ponta.

Aumenta o conhecimento sobre o cliente

Quer ter sucesso no seu empreendimento e conquistar cada vez mais clientes e, ainda mais importante, fidelizá-los? Então, conhecê-los ao máximo é a melhor opção. Essa análise feita por meio do BI permite que a empresa conheça cada vez mais o cliente e, assim, possa oferecer o que ele realmente precisa.

Percebeu como o cruzamento de dados associado ao BI é importante para qualquer empresa? Além de todas essas vantagens já citadas, você ainda garante a otimização dos custos, evitando que os gastos sejam além do esperado e mantendo o equilíbrio financeiro da empresa.

Quer mais dicas de ferramentas e fatores a considerar no cruzamento de dados? Então Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos todo mês no seu e-mail.

Qualquer organização passa por momentos de crise e isso é completamente natural. Essa crise pode se desenvolver por causas internas ou também externas (como quando há uma crise financeira no país ou uma mudança na legislação que afete, diretamente, o nicho do negócio). Por isso, é essencial que a empresa tenha um plano para o gerenciamento de crises.

Atualmente, as crises podem acontecer com certa frequência, especialmente por conta das redes sociais. Um comentário mal interpretado pode danificar a marca e reparar a imagem institucional pode ser difícil e levar muito tempo.

Para gerenciar a crise a melhor forma possível, é necessário ter uma equipe preparada para isso. Ela pode ser interna ou terceirizada, como acontece normalmente. Nesses casos, é preciso agir rápido e de forma certeira, evitando prejuízos maiores.

A melhor forma de agir e ser prático é utilizando ferramentas apropriadas e padrões previamente estabelecidos. Nesse cenário, o uso dos dashboards pode ser um grande aliado. Entenda o porquê!

O que são dashboards?

Os dashboards – ou painéis de controle – possuem a finalidade de ajudar a equipe a visualizar os dados e informações mais relavantes da empresa de forma mais clara, visual e intuitiva, facilitando a tomada de decisões. Construídos através de ferramentas de Business Intelligence, também ajudam a identificar quais são os padrões e as tendências dos números da empresa em relação a cenários internos e externos.

Os dashboards são desenvolvidos com base em KPIs (Key Performance Indicators). Uma vez definido o limiar de cada indicador de performance torna-se possível monitorar mais de perto, e em tempo real, a sua variação permitindo uma gestão mais eficiente da operação através da capacidade de responder rapidamente a possíveis crises e danos.

Dashboards e o gerenciamento de crises

Fácil identificação

Quando ocorre qualquer anormalidade nos dados monitorados — movimento que costuma acontecer em meio a uma crise — o dashboard consegue mostrar isso de maneira mais clara e visual, por meio dos gráficos, sinalizadores e alertas. Dessa forma, a equipe pode começar a se movimentar para evitar os problemas antes que eles cresçam.

Aqui é possível analisar diversos fatores: as palavras mais utilizadas pelos usuários, as mídias sociais mais acessadas, os horários de maior pico, a geolocalização, entre outros dados importantes.

Atualização em tempo real

Vivemos em um mundo no qual tudo muda muito rápido, por isso, ter informações atualizadas em tempo real é de vital importância para o controle de danos quando possíveis crises internas ou externas são identificadas pela empresa.

Essa rapidez com que as informações são atualizadas, permite que a equipe se antecipe aos problemas e possa fazer o gerenciamento de crises de forma muito mais rápida.

Criação e análise de possíveis cenários

Imagine que sua empresa queria adotar uma nova estratégia ou um plano de ação para tratar um problema conhecido. Com um bom dashboard é possível criar hipóteses e, com base nos dados históricos da empresa obtém-se alguns cenários e seus possíveis impactos.

Análises preditivas

Outra aplicação dos dashboards no gerenciamento de crises é a capacidade de fazer análises preditivas. Diferentemente da previsão de cenários, as análises preditivas vão dizer, com base no comportamento, variação e histórico dos dados, o que deve acontecer no próximo mês, semestre ou ano. Com isso é possível identificar exatamente para onde a empresa está indo ou de que forma as ações de controle da crise estão resultando.

Se você gostou deste artigo, talvez se interesse pelo curso Criação de Dashboards e Relatórios para BI. Confira!

Boa parte das empresas subutiliza estrategicamente os dados e as informações transacionais e de relacionamento com os seus clientes. Perde-se muito tempo para extrair e consolidar estes dados, e pouco tempo resta para analisá-los. Com ferramentas de Business Intelligence seu negócio ganha produtividade, agilidade e credibilidade. Quer saber como? Acompanhe.

O Business Intelligence (BI) ajuda a extrair fatos cruciais a partir de grandes quantidades de dados estruturados ou não, transformando-os em informações acionáveis que influenciam a tomada de decisões em uma empresa. Com isso, eles contribuem para a otimização da eficiência operacional e para o aumento da produtividade.

Os dados trabalhados pelo BI se referem ao comportamento do cliente, suas preferências, experiências de compras, comportamento on-line, entre outros. Eles permanecem, ainda hoje, sendo amplamente subutilizados na maior parte das empresas, mas as aplicações do Business Intelligence surgiram justamente para virar esse jogo.

Neste artigo, vamos abordar alguns elementos fundamentais que mostram como isso é possível. Boa leitura!

O que significa Business Intelligence para empresas?

Utilizar BI significa coletar e, acima de tudo, analisar dados com o objetivo de fazer o negócio crescer. No entanto, muitas empresas ainda têm dificuldades para colocar isso em prática. Mesmo que os dados existam, eles nem sempre estão visíveis no momento em que são necessários. Outras vezes, ninguém consegue garantir que eles são confiáveis.

Nesse contexto, os softwares de Business Intelligence para empresas podem ser grandes aliados para transformar dados em algo palpável. Uma informação só tem valor se ela puder ser utilizada e, por isso, praticar o BI é importante.

Mais do que adquirir uma ferramenta, seu negócio precisará entender a importância dos números e do esforço conjunto das áreas para gerar dados confiáveis. De qualquer maneira, com 60% das empresas planejando investir mais em BI, essa é uma tendência que não pode ser ignorada.

Como funciona o cruzamento de dados de diferentes fontes?

Relatórios baseados em informações precisas e oportunas ajudam a empresa a mensurar o desempenho de seus processos. Com uma ferramenta de Business Intelligence, é possível cruzar todo e qualquer dado que seja interessante em determinado momento, como:

  • desempenho atual e histórico da empresa;
  • tendências futuras;
  • demandas esperadas;
  • previsibilidade de vendas;
  • comportamento dos clientes, entre outros.

É inegável que as empresas têm cada vez mais dados à sua disposição, mas também é verdade que quando eles não estão organizados e acessíveis, podem atrapalhar mais do que ajudar. Em vez de ter que usar diversas planilhas e softwares, uma ferramenta de BI consegue concentrar e alinhar todos os dados, gerando relatórios concisos e fáceis de serem lidos.

Tais relatórios podem ser acessados em tempo real pelos gestores e CEOs, que devem atuar para garantir que a empresa utilize eficientemente os insights disponíveis para aperfeiçoar o gerenciamento, a produtividade, a agilidade e a credibilidade da organização. Veja como:

Aumento de produtividade

As empresas podem centrar seus esforços no aumento da produtividade ao utilizar Business Intelligence, pois ele elimina a necessidade de deslocar profissionais de suas áreas de atuação para a coleta e a organização de informações.

Uma vez organizados os dados e informações, a empresa desfruta de vantagens, como a redução de custos operacionais, a economia de tempo e o acesso a relatórios eficientes. Como consequência, esse investimento aumenta a produtividade e a qualidade do trabalho desempenhado pelas demais equipes.

Por exemplo, se hoje em dia a sua equipe tem que gerenciar diversas planilhas ou gerar gráficos manualmente, vocês estão perdendo um tempo precioso. Se, toda vez que uma informação é demandada, seu pessoal precisa procurá-la em um emaranhado de números, a produtividade não é das mais altas.

Nesse caso, o investimento em uma ferramenta de Business Intelligence para a empresa pode ser justificado pelo aumento de produtividade gerado por ela. Seus dados serão facilmente encontrados em um só lugar.

Agilidade nas ações

O Business Intelligence pode armar a empresa com informações indispensáveis para atingir as metas gerais de negócio, orientando decisões estratégicas. Por exemplo, todas as interações com clientes podem ser analisadas minuciosamente, e em tempo real, para fundamentar ações destinadas a melhorar as taxas de conversão em vendas, gerando uma vantagem competitiva.

Os dados devem ser apresentados de uma maneira que seja fácil entendê-los, comunicá-los e executá-los. Dessa maneira, agilizam a realização de processos e possibilitam maior rapidez na tomada de decisões em uma empresa.

É claro que a experiência e o conhecimento dos gestores são fundamentais para a escolha das ações e do caminho a ser seguido. Em adição a essas habilidades, o BI proporciona uma visão aprofundada do negócio e do mercado, fazendo com que esses profissionais consigam acompanhar a velocidade das mudanças com facilidade. O trabalho deles passa a ser focado em analisar, em vez de ter que encontrar e processar dados.

Credibilidade garantida

Para ganhar a confiança dos colaboradores na tomada de decisões em uma empresa, o estabelecimento de uma gestão transparente é tão essencial quanto um bom histórico. Quanto mais amplamente as informações forem compartilhadas em todos os setores, mais fácil será para os colaboradores compreenderem e executarem as decisões e fornecerem um feedback crítico na linha de frente.

Além disso, precisamos falar sobre a importância de ter dados confiáveis para respaldar qualquer ação tomada. Em Business Intelligence, não apenas a quantidade de dados analisados conta, mas também a qualidade deles.

Por exemplo, se a sua equipe de vendas utilizar um relatório errôneo sobre as vendas passadas para planejar as vendas futuras, é bem provável que o plano não funcione. Quando você utiliza diversas informações soltas, as chances de erro se multiplicam.

Em contrapartida, utilizando ferramentas de BI conectadas aos seus demais sistemas, como a um software ERP, a confiabilidade dos dados é elevada consideravelmente.

Mais informações para tomada de decisões

O Business Intelligence influencia a tomada de decisões em todos os níveis. O setor de marketing se beneficia da análise de dados relativos às campanhas e ao rendimento de promoções e, a partir disso, pode ajustar seus gastos para obter maior ROI.

Para a equipe de vendas, o Business Intelligence orienta a busca por melhores práticas e estratégias, pelo custo e pela duração da aquisição de clientes, além da realização de análises periódicas do volume de vendas e da margem de contribuição, e do acompanhamento de metas.

O Business Intelligence pode contribuir, também, para que o departamento de atendimento ao cliente monitore, em tempo real, dados, como:

  • indicadores de desempenho dos diferentes canais (SAC, Fale Conosco, Redes Sociais, Chat);
  • taxa de abandono;
  • reclamações por produto;
  • solicitações por tipo de cliente;
  • tempo de resolução e tratativa das manifestações.

Nesse setor, a tomada de decisões precisa ser eficiente e tempestiva, devido às inúmeras implicações envolvidas, e uma ferramenta de Business Intelligence pode otimizar tudo isso.

Portanto, podemos afirmar que o Business Intelligence se trata não apenas de uma ferramenta ou software, mas de uma nova cultura para a empresa. Com ele, seus dados ficam organizados, suas ações são respaldadas por números, a produtividade aumenta, e toda a empresa ganha mais tempo.

Se você se interessou pelo assunto e está pensando em adquirir uma ferramenta de Business Intelligence para empresa, não deixe de conferir o nosso e-book e aprenda como escolher uma ferramenta de Business Intelligence!