Posts

A era do Big Data é marcada pela geração de informação — que se dá de forma rápida e a todo o momento — referente a atividades comuns e a processos mais complexos também.

As empresas se encontram no meio de uma infinidade de informações e tentam encontrar valor nelas, a fim de monitorar resultados e identificar problemas. Mas para isso precisam se organizar e focar no gerenciamento de dados.

Quer aprofundar seu conhecimento sobre o assunto? Então, continue a leitura e confira os próximos tópicos.

O gerenciamento de dados em um contexto moderno

Atualmente, os dados são protagonistas nas relações comerciais. Eles se tornaram uma moeda de valor, que permite trocas entre pessoas e empresas. Nas negociações modernas, o cliente fornece informações em troca de personalização, ou seja, de algo que solucione seu problema.

Por essa razão, a companhia inteligente do século 21 não é a que apenas utiliza passivamente essa massa de conhecimento, mas a que o gerencia como um ativo. A visão dos executivos e demais membros deve evoluir, encarando o Big Data como um importante fator na geração de vendas e de lucro.

A compreensão holística do valor e dos riscos associados ao gerenciamento de dados guia as corporações na coleta, no armazenamento e na aplicação de regras de segurança para garantir disponibilidade, integridade e restrições de acesso.

É importante destacar que essa não é mais uma questão de TI apenas, pois tornou-se uma dor de todos os departamentos e deve ser encarada com seriedade.

Em um contexto cada vez mais dependente das informações geradas a todo o tempo, as empresas precisam realizar uma gestão inteligente, proativa e integrada. Assim, conseguem se adaptar às mudanças a fim de manter a competitividade.

A importância do gerenciamento de dados

Um bom gerenciamento de dados garante que as informações estejam sempre disponíveis e com a qualidade necessária para a tomada de decisão. Também facilita a antecipação de problemas, proporcionando maior confiabilidade às previsões. Dessa forma, o gestor consegue intervir com rapidez em cenários problemáticos.

A aplicação prática disso é a otimização de produtos e serviços, por exemplo, que pode ser feita de maneira proativa. Devido a essa possibilidade, a organização é capaz de reduzir prejuízos e possíveis transtornos.

A gestão de dados facilita o acesso a informações relevantes, já que integra diferentes fontes conectando seus dados. Isso viabiliza uma análise eficaz dos indicadores importantes, o que beneficia o monitoramento dos resultados, das ações e do fluxo de trabalho.

Cerca de 97% das empresas acreditam que a falta do gerenciamento eficaz dos dados gera perda de oportunidades valiosas e estima-se que a consequência disso seja um prejuízo de cerca de 2 milhões de dólares por ano.

Dicas de como realizar o gerenciamento

A seguir, listamos três dicas de como realizar um bom gerenciamento de dados.

Foque na Qualidade dos Dados

Em se tratando de gerenciamento de dados o foco inicial deve estar na qualidade destes dados. Seja na coleta, seja no input destes dados no sistema, seja na sua atualização constante. Quanto mais padronizados, normatizados, higienizados e atualizados estiverem seus dados, mais fácil será o seu gerenciamento.

Reforce a segurança

A segurança é uma parte muito importante do tema que estamos discutindo. Se o objetivo é manter os dados disponíveis e em boa qualidade, a empresa precisa pensar em estratégias efetivas para proteger todas as camadas e oferecer barreiras de defesa. Com um bom planejamento e políticas efetivas, as informações permanecerão intactas a fim de cumprir o seu propósito.

Busque um software de Business Intelligence

É fundamental também buscar um software que transforme seus dados em informações, que viabilize uma completa análise dos dados e possibilite um monitoramento mais inteligente. Assim é possível implementar uma comunicação eficiente entre os diversos pontos da empresa e conseguir agilidade nas decisões e nas ações.

Uma boa gestão das informações ajuda a consolidar qualquer negócio, gerando otimização de processos e de produtos e/ou serviços. Na era do Big Data, é importante que as empresas conheçam as boas práticas e sejam capazes de organizar suas bases, a fim de extrair real valor delas.

Agora que você já sabe como o gerenciamento de dados é indispensável para uma empresa, entre em contato conosco e veja como podemos ajudar você!

Realizar uma gestão eficiente de todas as informações digitais geradas por sua empresa é fundamental para conseguir elevar resultados, reduzir custos, fidelizar clientes e ter segurança de informação. Para isso, é preciso ter uma boa governança de dados.

Se você busca aprender mais sobre essa prática e compreender como ela influenciará os resultados de sua empresa, este artigo é para você. Pegue um café e boa leitura!

O que é a governança de dados?

A governança de dados é a gestão eficiente de todas as informações digitais geradas por uma empresa, resultantes dos processos e da interação com seus diversos públicos.

Manter essas informações de forma organizada, seguindo bons critérios de validação, é uma excelente maneira de extrair insights e possibilitar melhorias contínuas nos diversos âmbitos da empresa, desde a eliminação de custos desnecessários até a fidelização de clientes.

Para ter mais confiabilidade, muitas empresas têm utilizado soluções de BI (Business Intelligence) para coletar dados de sistemas como ERP ou CRM de maneira automática, evitando a manipulação por terceiros, otimizando tempo e eliminando o risco de erros por fatores humanos.

Quais os objetivos de gerenciar bem os dados?

Realizar uma boa governança de dados traz inúmeros benefícios. Conheça, agora, os objetivos principais que motivarão você a investir nessa estratégia!

Melhorar os processos de tomada de decisão

Decisões são parte da rotina de qualquer empresa, e elas devem ser tomadas sempre com base em dados concretos, fidedignos e avaliações criteriosas. Isso é possível por meio da governança de dados, uma vez que ela garante a atualização e confiabilidade das informações tornando os julgamentos para tomada de decisões mais seguros e assertivos.

Proteger as informações de vazamentos e uso indevido

Ao manter as informações devidamente organizadas, centralizadas e bem gerenciadas, o trabalho de proteção à informação se torna mais eficiente. Com isso, os riscos do vazamento de dados principalmente dados sensíveis e/ou estratégicos, no que diz respeito à relação com os investidores, são minimizados.

Tornar os processos mais eficientes

Você só pode melhorar o que consegue medir, certo? Apesar de suas variações, a essência dessa afirmação é um mantra para quem trabalha com a governança de dados. Ao analisar as informações coletadas e organizadas, é possível otimizar processos e eliminar gargalos, aumentando a produtividade.

Reduzir custos

Quando os processos se tornam mais eficientes, os desperdícios e custos de produção e operação são consequentemente reduzidos. Lembre-se de que, quanto menor for o custo, maior poderá ser a margem de lucro da empresa.

Exibir maior transparência

Com tudo organizado, as tomadas de decisões e a gestão de modo geral são muito mais transparentes, pois cada escolha é justificada com base em dados concretos.

Como implementar de forma eficiente a governança dos dados?

O primeiro passo é definir um “governador” que será responsável pelos diversos aspectos dos dados e que formará um conselho para formular as políticas e apresentar os progressos.

Em seguida, é preciso avaliar a situação atual da empresa. Afinal, não é possível definir um caminho se você não sabe onde está. Levantar as práticas atuais e os resultados obtidos é obrigatório nessa fase do processo.

Com a empresa devidamente situada, o conselho deverá elaborar estratégias e objetivos para determinar como serão tratadas as informações nos próximos anos, além de realizar um acompanhamento constante de todos os aspectos do negócio.

Depois de tudo pronto e organizado, é preciso utilizar as informações de maneira estratégica para garantir o crescimento da empresa. Se esse ponto não for observado, todo o processo perde seu sentido.

Monitorar todas as etapas da governança de dados é parte fundamental do processo, pois, assim como os demais processos de uma empresa, ela pode — e deve! — ser melhorada.

Agora que você já entendeu a importância da governança de dados para o sucesso de sua empresa, entre em contato conosco e descubra como podemos ajudá-lo!

A estratégia de dados é um conjunto de escolhas e decisões que, juntas, traçam um curso de ação para alcançar objetivos de alto nível. Isso inclui planos de negócios para usar informações de maneira estratégica e gerenciar desempenhos.

Essa é uma oportunidade de elevar sua linha de produtos e serviços existente, comercializá-la e desenvolvê-la melhor, além de usá-la para melhorar o atendimento e obter uma compreensão abrangente de seu cliente.

Neste artigo, você vai saber por que investir em uma estratégia de dados, o que compõe uma estratégia de sucesso e os passos para elaborar uma para sua empresa. Acompanhe.

Por que investir em uma estratégia de dados?

Sem uma visão centralizada, diferentes setores da empresa trabalham com os dados de forma diferente. Isso, inevitavelmente, leva a distintas conclusões dentro da organização, tornando mais difícil extrair novas ideias das informações disponíveis, além de gerar custos desnecessários.

Uma estratégia de dados, por outro lado, fornece base para todos os esforços no planejamento empresarial. Esse é o recurso que permite a unificação das expectativas de negócios e de TI, de modo que todos os fluxos de informação — cadastro de clientes, ações de marketing, Big Data etc — sejam utilizados para alcançar os objetivos da empresa.

O que compõe uma estratégia de dados bem desenvolvida?

Podemos definir uma estratégia como eficaz quando envolve:

  • uma visão forte de gerenciamento de dados;
  • uma missão de negócio;
  • princípios orientadores, valores e perspectivas de gestão;
  • métricas de sucesso;
  • objetivos do programa em curto, médio e longo prazo;
  • papéis e responsabilidades apropriadamente concebidos.

Assim, uma boa estratégia alinha as atividades de dados e análises com as principais prioridades, missões e objetivos da organização.

Além disso, essa maneira de gerir ajuda a organizar, governar e implementar os recursos de informação de uma organização, que podem ser aplicados em todas as indústrias e níveis de maturidade de dados.

Quais são os passos para elaborar uma estratégia de dados?

Nesta etapa, é importante definir métricas de desempenho e como a gestão dos dados empresariais vai auxiliar no alcance dos objetivos e em processos organizacionais. Nesse sentido, torna-se necessário:

  • determinação em relação às funções, em termos de quem possui quais dados ou sistemas de dados;
  • declaração de missão em relação à exploração de ativos de dados;
  • expectativas para métricas de nível de serviço em toda a empresa (para sistemas de dados e qualidade de dados);
  • versões introdutórias de todas as sub-estratégias específicas, como Business Intelligence, governança de dados, EDW, MDM, Gerenciamento de Conteúdo, Dados Gerais, etc;
  • decisões de planejamento de nível superior ou expectativas para fazer esses projetos;
  • identificação dos principais desafios empresariais e decisões de design.

Apesar do atual cenário da era da informação, muitas empresas ainda não têm processos estruturados para aproveitar dados importantes. Portanto, é possível levar o seu negócio a outro patamar no mercado com uma estratégia de dados.

Gostou do artigo? Deseja receber os melhores conteúdos a respeito da ciência dos dados aplicada ao contexto empresarial? Então, não deixe de assinar nossa newsletter para receber as nossas novidades.