Posts

O mercado dinâmico gera uma demanda cada vez mais intensa sobre os analistas de dados. A pressão por resultados e agilidade é muito grande, uma vez que é preciso
mensurar o trabalho, integrar informações e buscar suporte para tomadas rápidas de decisão.

Além de tudo isso, o ideal é ser proativo e prever tendências, a fim de preparar a companhia para o que pode acontecer e otimizar as decisões. Por essa razão, é fundamental conhecer uma ferramenta que auxilie em todas essas necessidades.

Neste artigo, falaremos sobre o Business Intelligence (BI) e como você pode utilizá-lo a seu favor. Confira!

O que é Business Intelligence?

O Business Intelligence é um conjunto de ferramentas que auxiliam na análise de dados e na tomada de decisão. Elas são responsáveis por integrar informações de diferentes fontes, uni-las de forma lógica, encontrar padrões e fornecer insights para a gestão. Ou seja, compreendem a coleta, análise, organização e monitoramento dos dados.

O objetivo é fornecer apoio aos gestores com mais inteligência e agilidade para a liderança do negócio. Assim, é possível estudar melhor as informações relevantes e optar por escolhas saudáveis, que sustentem a continuidade da empresa.

O BI envolve painéis de controle que facilitam a visibilidade dos indicadores e ajudam a eliminar pontos cegos. Com ele, os líderes conseguem alcançar um gerenciamento ideal, adequado às demandas do mercado moderno.

Como o BI ajuda a prever tendências?

Veja, a seguir, alguns pontos que demonstram o papel do BI em uma empresa.

Monitoramento do mercado e concorrentes

O BI é interessante para monitorar dados de mercado e integrar informações da empresa com dados de fontes públicas. O objetivo disso é melhorar ainda mais a antecipação de problemas e oportunidades, a fim de preparar ações proativas. É possível, também, estudar o que os concorrentes têm feito e conseguir insights para melhoria dos produtos/serviços.

Se encontrar alguma fonte de lucro, por exemplo, os gestores podem direcionar os esforços e investimentos a fim de alcançar isso. Caso encontrem algum risco, conseguem trabalhar em ações de prevenção antes da situação se tornar incontrolável.

Análise histórica do comportamento de clientes e prospects

Da mesma forma, o BI permite uma análise completa do comportamento de clientes e prospects. Com esses dados, a empresa consegue prever tendências de compra e criar bases para testar cenários que possam agradar os consumidores.

Esse conhecimento é importante para otimizar o relacionamento com as pessoas, uma vez que a companhia as conhece melhor e pode pensar em estratégias efetivas para satisfazer suas necessidades.

Monitoramento dos indicadores de sucesso do negócio

Se o objetivo é mensurar os resultados do negócio e monitorar os indicadores de sucesso para ajustar pontos necessários, o BI também é a ferramenta certa. O Business Intelligence possibilita que a gestão estude os processos, identifique erros e planeje alterações de acordo com os objetivos traçados. Isso ajuda a fortalecer a comunicação com a equipe e alinhar o trabalho de todos.

Identificação de desvios e falhas em tempo real

Outra vantagem do BI é a mobilidade. Os sistemas podem ser acessados a qualquer momento e em qualquer dispositivo, o que favorece a análise ágil e rápida dos processos.

Assim, é possível prever tendências e estudar ações proativas em tempo real, sem perder o que está acontecendo. Além disso, a gestão consegue identificar erros no momento em que tudo ocorre, sem deixar que acumulem e se tornem maiores.

Como a Trinity pode ajudar?

A Trinity Relationship Strategy é focada em inteligência de negócios e gestão do relacionamento com clientes, e uma ótima opção para empresas que buscam soluções personalizadas de BI permitindo que você extraia os seus dados e integre diferentes fontes a fim de conseguir insights valiosos de negócio.

Com o nosso apoio, sua companhia será capaz de desenvolver relatórios claros e explicativos, painéis de controle dinâmicos e interativos, bem como outras aplicações personalizadas para antecipar cenários e se preparar inteligentemente para o futuro.

O Business Intelligence é um conjunto de aplicações poderosas que viabilizam decisões rápidas e eficientes, com uma visão completa do negócio. Assim, a organização consegue prever tendências e otimizar a gestão, reduzindo a incidência de erros.

Gostou do conteúdo deste artigo? Entre em contato conosco e entenda mais sobre como levar uma solução de BI para sua empresa.

A utilização de Business Intelligence vem crescendo cada dia mais nas organizações, que esperam, com essa solução, administrar com eficiência e tirar o máximo proveito do alto e crescente volume de informações que coletam de fontes diversas.

Infelizmente, as tentativas de implantação da tecnologia, em muitas empresas, terminam em fracasso e problemas em projetos de BI são bastante comuns.

Muitas vezes, os profissionais envolvidos no projeto não estão preparados para lidar com a nova interface de dados ou não têm uma visão clara dos objetivos da empresa em relação ao sistema, o que compromete a eficácia do projeto.

Neste artigo, você vai saber quais os problemas mais comuns em um projeto de BI e entender o que deve ser feito para evitá-los. Continue a leitura!

Falta de planejamento

Antes de implantar um sistema de BI, é preciso definir claramente quais os objetivos que se deseja alcançar, entender a estrutura de dados, o perfil da empresa e quais as necessidades dos gestores para, só então, traçar as etapas do projeto, garantindo que tudo ocorra no seu devido tempo e traga resultados eficazes.

Também é importante definir KPIs (indicadores chave de desempenho), a fim de acompanhar e mensurar os resultados, facilitando o cálculo do retorno sobre o investimento e a eficácia do sistema.

A falta de planejamento e visão global de longo prazo pode resultar em apenas algumas poucas melhorias em relatórios com dados que já circulavam pela organização, sem apresentar o dinamismo esperado, restringindo-se a áreas específicas e sem alinhamento com os gestores.

Falta de suporte multiplataforma

Um dos pontos que devem ser observados é a aquisição de uma ferramenta de Business Intelligence que ofereça suporte multiplataforma.

Muitos sistemas de gestão possuem suas visões analíticas acopladas, porém, para se fazer, ter e colher os verdadeiros resultados do Business Intelligence é preciso que a plataforma de BI seja capaz de acessar e cruzar de diferentes fontes de dados como CRM, ERP e até mesmo fontes externas de dados e estatísticas, como o IBGE, CAGED, entre outras, pois com isso é possível analisar e gerenciar dados diversos para se obter informações completas e bem estruturadas de real valor para a organização e consequentemente, que gere resultados mais eficazes.

Falha nos dados mapeados

Por melhor e mais atraente que seja um sistema, ele trabalha a partir dos dados que recebe e armazena, portanto, é muito importante que as informações estejam corretas e atualizadas em suas fontes.

Esse é um grande desafio, já que, muitas vezes, ao implantar o sistema, ele capta dados utilizados pela empresa que podem conter erros, estar incompletos ou até inacessíveis.

É muito importante que a estrutura de dados seja administrada de forma eficiente e que os dados internos sejam sempre atualizados para que o sistema possa apresentar resultados consistentes.

Ausência de gestão da mudança

Planejamento é mesmo fundamental desde a decisão de implantação do sistema, mas também é muito importante contar com uma equipe de gestão da mudança. Afinal, durante sua implantação, podem ocorrer tanto mudanças externas, que exijam adequações, como descobertas de falhas ou mudanças internas da organização, que exigirão alterações em sistemas e em processos para que os resultados do BI sejam efetivos.

Portanto, é preciso trabalhar com uma equipe preparada para prever e entender a importância das mudanças e capaz de realizá-las ao longo projeto. A ausência da gestão da mudança pode incorrer em gastos inesperados e atrasos na implantação do sistema.

Falta de treinamento da equipe

Será, com certeza, um mau negócio implantar um sistema de BI sem buscar o engajamento e o treinamento dos funcionários na utilização.

A medida pode ser uma mudança incômoda para quem está acostumado a tratar dados e analisar planilhas e relatórios no Excel, assim, muitos podem apresentar resistência à alteração.

Esse é um ponto que deixa clara a importância de uma parceria com uma empresa especializada em consultoria e implantação de sistemas BI. Ela oferece todo o preparo e o treinamento de que a sua equipe precisa para entender e operar o sistema com eficiência.

Os profissionais especializados estão habituados a trabalhar com a implantação do sistema desde o seu planejamento até que ele esteja em funcionamento e sendo bem utilizado pelos colaboradores.

Juntamente aos gestores, eles vão comandar com eficiência cada etapa do projeto, minimizando drasticamente os problemas em projetos de BI. Portanto, a melhor solução para acertar no seu investimento é contar com a parceria de uma empresa focada e experiente em inteligência de negócios.

Quer saber como escolher a melhor ferramenta de BI para otimizar os processos da sua empresa? Baixe nosso e-book!

A cada dia o volume, a quantidade e a qualidade dos dados coletados pelas empresas se torna maior, sendo que muitas vezes o processamento e a análise desses dados ainda é realizada de forma manual ou rudimentar, algo que pode ser agilizado e potencializado pela adoção de métodos como a metodologia CRISP.

Como um dos maiores desafios dos gestores está em obter relatórios e informações de qualidade de forma rápida, para que possam ser realizadas análises precisas para embasar a tomada de decisões, metas e objetivos, essa metodologia é grande parceira das empresas e deve ser conhecida e entendida por eles.

Explicamos agora o que é e como a metodologia CRISP se aplica a projetos de BI e também quais são suas principais etapas de aplicação e desenvolvimento. Confira abaixo e ótima leitura!

O que é a metodologia CRISP?

Para compreender o que a metodologia CRISP oferece para as empresas, é necessário primeiro entender a sigla. CRISP (também escrita como CRISP DM) é uma abreviação de Cross Industry Standard Process for Data Mining, que em português pode ser escrita como Processo Padrão de Indústria Cruzada para Mineração de Dados.

Essa metodologia é responsável por reunir as melhores práticas em mineração de dados, permitindo que a gestão e análise de dados por meio de projetos e ferramentas de Business Intelligence seja realizada de forma mais eficiente, entendendo e compreendendo os processos da empresa e oferecendo oportunidades de melhoria.

Como funciona essa metodologia em projetos de BI?

A metodologia CRISP se utiliza de uma série de etapas para propor hipóteses e oferecer soluções para questões empresariais, servindo como ferramenta de compilação e compreensão de todos os dados obtidos pela empresa em informações úteis e que facilitam o gerenciamento e a tomada de decisões pelos gestores.

Quais são as etapas da metodologia CRISP?

Agora que você entendeu melhor o que é a metodologia CRISP e como ela funciona dentro de projetos de BI, é interessante conhecer suas etapas e como elas se desenrolam dentro da empresa. Confira abaixo!

Entendimento do negócio

Na etapa de entendimento, são analisados todos os detalhes a respeito do problema a ser resolvido ou da situação a ser otimizada dentro da empresa, compreendendo seus impactos e também os objetivos que se deseja atingir.

Compreensão dos dados

A próxima etapa consiste em organizar e documentar todos os dados disponíveis, sendo o primeiro momento da mineração e análise de dados de fato, identificando os dados relevantes.

Preparação dos dados

Na etapa de preparação dos dados, dentro da metodologia CRISP, são preparadas as bases de dados e definidas as questões técnicas de análise e também a escolha dos dados que serão trabalhados.

Modelagem

Na fase de modelagem são utilizados os dados minerados, escolhidos anteriormente, para realizar análises aprofundadas e desenvolver modelos de acordo com os objetivos que a empresa deseja obter.

Avaliação

Na etapa de avaliação, são acompanhados e analisados os resultados da modelagem e também realizada a aplicação dos conhecimentos obtidos por meio da análise dos dados.

Desenvolvimento

A fase de desenvolvimento é a última da metodologia, em que serão aplicados os conhecimentos obtidos a partir dos dados nas tomadas de decisão, orientando os gestores de forma ativa.

Como é possível perceber, a metodologia CRISP é uma ótima ferramenta para assegurar resultados e garantir fundamentação dos dados para a tomada de decisões e o sucesso na implantação de ferramentas de Business Intelligence.

Se você está pensando em implantar uma ferramenta de BI na sua empresa ou no seu departamento, baixe nosso guia passo a passo “Como ter sucesso com o Business Intelligence” e aproveite nossas dicas e orientações.